Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

08 Jul, 2010

Socren share

Sinceramente, por tudo quanto tenho lido, ouvido e visto, nunca imaginei que ainda houvesse um português vivo, além da minha pessoa, capaz de interpretar correctamente o que rezam as escrituras e os alfarrábios assinados ao longo dos tempos, por uns palermoides incapazes de se fazer compreender através dos seus escritos de então.

Daí que todos os palermoides de agora, tenham todas as razões e mais uma, para agitar a justa bandeira das inconstitucionalidades e das ilegalidades em todas as shares, sejam elas goldens ou socrens. De modo nenhum quero pensar mal dos palermoides, de todos os palermoides, porque, mesmo assim, eles são gente, e gente que merece todo o respeito.

Uma coisa é o mau pensamento da minha pessoa e outra coisa bem diferente é o bom pensamento reflexo dos palermoides de antanho, que se vai passando para os palermoides mais recentes. Daí a diferença que me separa deles, tendo eu a perfeita consciência de que estou cada vez mais votado ao isolamento.   

A única coisa que me apraz salientar no meio de todas estas movimentações, que não me apetece agora catalogar, é a existência dos inevitáveis grupos de palermoides, os habituais beligerantes prós e contras, como se de um feroz encontro de coicebol se tratasse, especialmente, entre azuis e vermelhos, que é o que está a dar cada vez mais.

Como aqui não se trata de coicebol, mas de coice politicol, com a invariável linguagem específica, os indesmentivelmente brilhantes são os verdadeiros especialistas em coice, quer se trate de coice simples ou duplo, consoante se levante um membro ou os dois ao mesmo tempo.

Sempre achei imensa piada e utilidade a todos os habilidosos que conseguem escoicear para todos os lados e a partir de todas as posições. Não é para qualquer um, não senhor, principalmente, porque eles não têm qualquer share, golden ou socren, que lhes dê a mínima cobertura para eventuais metidas do pé na poça.

Sei perfeitamente que a socren share foi um erro unanimemente criticado por toda a comunidade palermoidal. Nem podia ser de outra maneira, ou não estaríamos aqui, neste reino da palermice, onde estou plenamente convencido que estamos.

Como é que alguém de bom senso poderia aceitar que não enfrentássemos de sorriso nos lábios, uma investida plena de fúria e raiva vinda ali do lado de lá? Claro que só os palermoides é que se aperceberam das virtudes dessa investida. Ou não cheirasse ela a golden perfume, ou a golden fácil, a brilhar ao sol, contra a sombra fatídica da socren share.

À sombra ou ao sol, os palermoides devem ter ficado estupefactos com a trabalheira que resulta de ter de se gastar agora um tempão a fazer negociações que só podem ser um desperdício de oportunidades motivado por não terem já o dinheiro limpinho nas suas mãos. Tudo por causa da tal socren share, que não é mais que uma empata negócios de toma lá dá cá.

Ainda por cima, chegou precisamente agora, aquela fatídica decisão vinda lá de fora, que todos os palermoides já sabiam que viria. Só que não traz apensa aquela indispensável ordem de prisão imediata do utilizador da socren share, que alguns deles tinham como certa. Mais um desperdício, pois isso resolveria o problema que, cá dentro, ninguém tem os tais, com dimensão suficiente para acabar com o dito.

Obviamente que, acabando de vez com o autor e utilizador da socren share, através da acção concertada de todos aqueles que o podiam fazer, mas não têm no devido lugar os referidos tais, se evitavam todos os problemas que esperam venham a ser resolvidos por quem se está borrifando para os nossos interesses.

Se não gostam, botem fora de vez a socren share, mostrem que os têm lá, pois assim poderão, finalmente, mostrar também o que valem e libertar-nos do fardo que carregamos, se têm a certeza que o podem aliviar.