Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

afonsonunes

afonsonunes

12 Out, 2010

Show de presidentes

Se para alguns apreciadores do espectáculo político foi uma noite em cheio, com três ex presidentes a abrirem os seus livros recheados de sabedorias que todos nós bem conhecemos, para outros terá sido uma noite simplesmente chata, porque não havia sequer um joguito de futebol para animar a malta e matar o tempo que, com política, nunca mais passa.

Aliás, a RTP anda mesmo desgovernada de todo. Como é que se compreende que, num dia só dá política e nada de futebol, e no dia seguinte dá dois jogos de futebol, logo dois, e quase seguidos, e de política a sério, nadinha. Isto não contando com os habituais inquilinos dos telejornais.  

Mas adiante, que isto não é lugar para desabafos fora de contexto. Quero falar da noite dos presidentes e o resto é conversa. Cá para mim, era imperioso estarem quatro e não três. O facto de haver um que ainda não pode dizer que é ex, não justifica a ausência. Aposto que foi mais um desgoverno da RTP que se terá esquecido de o convidar.

Sim, porque não acredito que o ausente desse nega a uma oportunidade soberana de se juntar a tão fina flor da nossa política, mostrando que as suas doutrinas passadas, presentes e futuras não ficam nada a perder em comparação com aquelas que tivemos oportunidade de ouvir, excepto os que preferiam um joguito de futebol.

Mais, no meu modesto entender, só para ver e ouvir os apitos da árbitra residente, já valia a pena perder tudo e ficar pendurado naquele impagável canal, que até meteu apagão e tudo. Portanto, não sabem o que perderam aqueles que insistem em não ver outra coisa que não seja futebol, ainda que seja muito rasca.

Porém, houve um pormenor que me deixou intrigado à brava. Todos sabemos que aquele programa se chama ‘Prós e Contras’. Ora é evidente que está à vista mais um desgoverno da RTP. Alguém é capaz de me dizer quem eram, ali, os dos prós e os dos contras? Não, eu não sei se eram todos dos prós ou todos dos contras. Mas que estavam todos do mesmo lado, não tenho dúvidas nenhumas.

Ah, agora me lembro, se lá estivesse o tal que não foi convidado, digo eu, talvez a coisa mudasse de figura e de que maneira, embora lá tivesse um aliado que, com companhia a ajudar, talvez tivesse aberto mais o seu próprio jogo. É que nestas guerras, a ordem para disparar, nem sempre vem do general que comanda as tropas.

Agora o que não merece contestação é que, qualquer um dos três ex, falou bem e depressa, tendo em conta que o programa até nem durou muito, se atendermos a que começou tarde e acabou cedo. Ainda por cima teve um apagão que nunca mais acabava. Foi para ali despachar publicidade… Principalmente à própria RTP. Devem estar aflitos, coitados...

Dada a permanente boa vontade da RTP em salvar o país, principalmente, com os permanentes incentivos ao combate ao desânimo e ao empenho de todos os portugueses, incluindo aos mais exacerbados amigos da bola, não tenho dúvidas de que tudo, mas mesmo tudo, vai acabar bem.

Sobretudo agora, em que todas as suas vacas sagradas, perdoem-me a imagem um pouco distorcida, vão ter a honra de contribuir com uma modesta parcela dos seus réditos para o emagrecimento desse boi indomável que é a sua entidade patronal. Ainda dizem que não há justiça nos cortes cegos. Pois eu digo que são cegos e bem cegos. Podiam ir cortar para outro lado bem mais justo. Os telespectadores, por exemplo…

Mas afinal, isto é um show de presidentes, ou da RTP e ‘sus chicos’? Os ex pareceram-me muito felizes por terem contribuído para empurrar o país para a frente. Finalmente, digo eu, pois mais vale tarde que nunca. Isto se as suas belas palavras, bonitas e sensatas, não forem entendidas como mais um jogo, de resultado duvidoso como tantos jogos da bola.

Bolas!... Estava a ver que não acabava isto antes de começar a bola. Não quero perder um segundo sequer daquilo que toda a gente está à espera que seja um show de bola…

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.