Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

afonsonunes

afonsonunes

Toda a gente pode estar perfeitamente tranquila porque não está a nascer nenhuma nova crise. Bem nos bastam as que já temos e mais as que não o sendo, temos de as aceitar tal qual nos são vendidas e como se o fossem de verdade. Quanto aos arranhões, também podem estar tranquilamente descansados que não há gatos a arranhar seja quem for.

O que acontece é que nós portugueses, temos uma língua muito difícil, o português, que dá água pela barba a muito boa gente cá do burgo. É curioso que qualquer chinês ou ucraniano fica a falar português ao fim de pouco tempo de permanência entre nós. Não precisou da nossa primária, nem dos nossos cursos de formação pós laboral, para trabalhar entre os portugueses que ainda trabalham, ou vender chinesices como os comerciantes portugueses que não são capazes de vender portuguesices.
Daí que tenhamos de reconhecer que falar português não é assim tão difícil como se apregoa. Mas, cada vez assistimos a mais polémicas do diz que disse mas não disse, de certos políticos, em relevantes lugares da vida nacional. Mas, curioso é também o modo como uma data de comentadores e analistas políticos interpretam as palavras que ouviram, muitas vezes confundindo-as com as palavras que gostariam de ter ouvido. É caso para perguntar se, para eles, a língua portuguesa é mais difícil que para os chineses ou ucranianos, que sabem perfeitamente o que lhes querem dizer e arranham suficientemente o português de modo que todos entendamos perfeitamente o que eles querem dizer.
Porém, mais estranho ainda, é que a língua portuguesa se deixe arranhar por gente tão ilustre, mas com arranhões completamente diferentes em circunstâncias perfeitamente iguais. Ao menos que arranhem todos da mesma maneira.
Rica língua portuguesa que não tem culpa nenhuma de haver quem a trate como pobre.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.