Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

15 Out, 2008

Sempre a consonar

 

 
Gostava realmente de saber em que medida eles estão a consonar um com o outro, uma vez que aparecem notícias todos os dias, dando conta de uns diz-que-diz-que fazem mossa, mas que nunca chegaram a qualquer diz-tu-direi-eu entre eles, que comprovem que efectivamente não consonam.
Um deles afirma a pés juntos que sim, que sempre consonaram na perfeição, enquanto o outro, o motivo, a causa e a origem das notícias, não arrisca o sim nem o não, e tão pouco dá um simples sinal de nim, para que a turba fique momentaneamente em sossego, enquanto tenta interpretar o obstáculo linguístico inoportuno.
É preciso esclarecer desde já que, quer eles consonem ou não, esse facto não tem nada a ver com o sono de cada um deles, ainda que ambos possam andar com o dito atrasado, por causa das dores de cabeça que o decorrer do tempo e o seu agravamento, devido a grandes turbulências, não lhes permitam pôr o sono em dia
Por vezes até parece que eles combinam estas cenas, o que confirmaria a tese de que consonam na perfeição, dando um, a música que interessa a ambos, em tom de violino, enquanto o outro, uns dias mais tarde, dá a mesma música, mas em tom de serrote, verdadeiramente arrepiante.
Na verdade, do violino ao serrote vai uma diferença muito maior que do nevoeiro cerrado à chuva miudinha. Talvez até de qualquer destes, para uma borrasca trovejante e a inundar tudo mas, mesmo assim, será sempre possível encontrar uma razão para que eles consonem nos seus objectivos comuns.
Se o dilúvio fosse anunciado a frio, apenas por um deles, haveria sempre quem não acreditasse. Mas, se um deles prevenir que vem aí chuva, enfim, alguma chuva, talvez um pouco de granizo, está a preparar o terreno para que o outro entre em cena, em tom profético, e anuncie mesmo a proximidade de um dilúvio. Alguém dirá que um deles não falou verdade, que o mesmo é dizer que não consonam.
O vento já sopra forte. As nuvens negras adensam-se no firmamento já escurecido e aproximam-se do céu que nos cobre. Cada um tenta abrigar-se onde pode, sabendo que a chuva pode dar dilúvio e o vento pode dar destruição. Se eles consonam ou não, pouco vai interessar, porque os verbos até se deixam escrever à vontade de cada um.
No entanto, um deles fez questão de esclarecer com mais correcção, que podíamos estar  descansados, pois entre eles havia uma consonância perfeita.
Podemos, pois, deduzir que eles consonam às mil maravilhas, com chuva, apenas, ou com o dilúvio à vista.