Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

08 Jan, 2012

Cardoga e Catrona

 

Eis duas grandes personalidades que fazem a ponte entre a escuridão partidária e a luz empresarial. Ele com pelo na venta, ela com aquilo a que ele chamava outro nome, em lugar mais escondido que o lugar que lhe coube na rifa que acaba de ser accionada.

Andou a roda, é verdade, e o entendimento entre os dois únicos partidos nacionais que são verdadeiramente amigos, determinou que, no jardim da Celeste, a dona Cardoga, tivesse um amigável encontro com o seu futuro chefe, dótor Catrona, que lhe ofertou um ramo de flores azuis.

Dona Cardoga apressou-se, pressurosa e gentilmente, a colher umas laranjas de jardim, na falta de outras mais saborosas, colocando-as num cestinho de verga que por acaso ali apareceu, notando desde logo que o dótor Catrona não ligou às laranjas, mas delirou com a verga da cestinha.

Ambos trocaram aquelas efusivas saudações de quem se encontra inesperadamente sob os potentes holofotes alimentados pelas energias vindas das três gargantas do oriente. Diz quem viu, que até a verga da cestinha se eriçou, de tal forma que ele se embaraçou e ela virou os olhos.

Ao que parece, mais quatro felizardos foram contemplados na mesma rifa dos amigos Paulo e Pedro, os dois apóstolos de quem se diz que têm uma óptima doutrina, quando fazem as suas pregações aos fiéis e infiéis, mas que se portam pessimamente quando entram no privado.  

Como não podia deixar de ser, todos eles e ela, são tanto ou mais patriotas que os seus benfeitores. Que mais não fosse, porque todos eles contribuem para que todos os cidadãos malfeitores deste país, que são a grande maioria, estejam a pagar os seus erros no inferno que merecem.

Como já se concluiu que por cá não há justiça que nos valha, nem patriotismo que nos salve, vem a caminho a justiça das três gargantas. Catrona e Cardoga são, notoriamente, duas boas gorges, com a particularidade de soltarem uns gritos de fazer faísca.

Mas que é lá duas faíscas numa empresa onde os choques eléctricos passam de cá para oriente, enquanto o lixo removido dos partidos, dá lugar ao à vontade da sã juventude que se livra dos conselhos que eles já sabem de cor e salteado, há uma eternidade de tempo.

Mas, segundo consta, ainda há nesses partidos umas tantas gargantas secas que só aguardam guia de marcha, porque ali já esgotaram o seu palavreado. Não deve tardar que sejam assinados os despachos respectivos, pelos responsáveis pela boyada.

Dona Cardoga e o dótor Catrona voltarão ao Jardim da Celeste para receber os que vão chegar. Eduardo, chefe, fará o beija-mão, com chineses por volta e, porque não, uma ou outra chinesinha simpática.