Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

02 Nov, 2008

Sentimentos

Supostamente os sentimentos deviam estar dentro de nós, bem no íntimo do nosso corpo, assim como um complemento da alma, para aqueles que acreditam que toda a gente tem uma coisa dessas, mesmo que não saibam bem o que isso é. Não vou por aí, porque também eu não me sinto devidamente capacitado para me meter nessa alhada.

Quanto a sentimentos, sinto que eles mexem com o meu íntimo a toda a hora e sinto que eles não existem em pessoas que demonstram não os ter, a todo o momento. Certamente que terão outra coisa qualquer no lugar deles, senão teriam o vácuo no seu íntimo, o que os tornaria uma espécie de massa bruta, incapaz de reagir no bom ou no mau sentido.
Se não há sentimentos nem vácuo dentro de nós, então seremos uma espécie de animais selvagens que reagem com voracidade irracional a todos os estímulos que lhes chegam à pele ou aos ouvidos ou, pelo contrário, reagem com uma doçura extrema, mesmo a quem lhes ameaça a vida.
Mas, penso eu, a maioria dos seres pensantes tem sentimentos, mais uns que outros, de diferentes tonalidades, diria mesmo de diferentes qualidades, que o mesmo é dizer que há bons e maus sentimentos, quantas vezes, debatendo-se uns contra os outros dentro do corpo da mesma pessoa. Não é fácil controlar essa espécie de luta interior, especialmente se a circunstância em que ocorre requerer uma decisão imediata, com consequências imprevisíveis, a partir do minuto seguinte.
É por isso que é tão importante o sentimento do dever cumprido, recompensa tranquilizadora das consciências limpas que medem e sentem o que fazem. Sobretudo, se esse sentimento tiver tido como alvo alguma vítima de sentimentos perversos, por parte de quem usa e abusa de sentimentos de impunidade, por culpa de alguém que não consegue criar dentro de si, o sentimento de justiça que lhe compete garantir.
Também o amor é um sentimento. Talvez o mais sublime de todos. Talvez aquele que mais pode influenciar outros sentimentos, a menos que ele próprio se torne irracional e incontrolável, como incêndio que queima, indistintamente, tudo o que é bom e tudo o que é mau. Mas, o amor pode ser, e é, um sentimento regenerador de muitas vidas vazias, um bálsamo para a tristeza e a solidão, ou o fio condutor que nos leva até alguém que precisa apenas de um momento de companhia e de uma palavra amiga.
Sentimento é tudo quanto nós sentimos, tanto em relação a nós próprios, como em relação a tudo aquilo que nos rodeia. Se sentirmos que a vida é uma vela que se vai queimando a si própria, talvez ganhemos o sentimento de que só teremos a ganhar, se protegermos todo ambiente que rodeia a chama dessa vela. A vela da nossa vida.