Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

06 Nov, 2008

Sim, foi hoje

 

 
Hoje foi um daqueles dias em que tudo contribuiu para que me sinta satisfeito. Não é muito vulgar poder dizer isto, assim, sem reticências e sem necessidade de estar a torcer o nariz, em sinal de que aquilo que se diz nem sempre corresponde à realidade.
 
É verdade. Comecei por acordar com muito silêncio à minha volta, o que me permitiu recomeçar mais uma etapa de sono retemperador e compensador de algumas noites perfeitamente ao gosto de todos aqueles que julgam que a noite é o reino dos destemperos, dos ruídos mais absurdos e da manifestação de todas as frustrações.
 
Depois do sono reparador, procurei informar-me através das notícias matinais. Nem uma guerra, nem um morto, nem violência, nem misérias, nem tempestades em terra, no mar ou no ar. Fiquei feliz, claro!
 
Porém, incrédulo, saí de casa, na esperança de que lá fora, nas ruas, pudesse continuar a pensar que, afinal, havia um mundo novo para viver.
 
Logo que pisei o chão da rua, fui surpreendido por uma voz forte e simpática de alguém que me atirou um ‘bom dia’ que só podia ser um desejo sincero de uma pessoa simples e bem intencionada, a pedir uma resposta plena de igual significado e simpatia.
 
O chilrear das aves nas árvores que se alinhavam ao longo da rua parecia comungar numa festa colectiva, juntando mais uns sinais à minha predisposição para me sentir efectivamente num mundo mais alegre e optimista que aquele que estava habituado a sentir à minha volta.
 
Essa ideia mais se consolidou quando, mais adiante, um simpático agente da autoridade olhou para mim e sorriu.
 
Não era habitual ver um agente da autoridade na rua. Mas, hoje vi. E tive aquela sensação de que me encontrava num lugar seguro, onde ninguém viria perturbar a minha satisfação, nem interromper a sensação inédita de ver um sorriso num agente da autoridade, em serviço. Com a grande novidade de que esse sorriso, me fora dirigido.
 
Voltei a fixar quem estava para lá daquela farda, especialmente, que rosto estava debaixo daquele boné e encontrei desde logo a explicação que me faltava. Sorri, também eu, ao ver um rosto de mulher.
 
Depois, o meu dia continuou assim, diferente dos dias anteriores, o que me levou ao engano de que o mundo, de repente, se havia transformado numa coisa boa.
 
Não, com grande desilusão, concluí que estava apenas a acordar.