Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

12 Jan, 2013

O teu e o meu

 

O presidente da Câmara Municipal do Porto descobriu uma esplêndida maneira de começar a discutir os disparates cometidos na gestão da coisa pública e que tão mal explicados têm sido a todos os níveis.

Num painel publicitário visto numa artéria da cidade invicta, pode ler-se: ‘Endividadas: Gaia, Fundão e Funchal, necessitam das maiores ajudas’. Rio enviou um recado a Menezes: ‘O teu endividamento é maior que o meu’.

Vamos supor que a nível do país se começa a medir tudo e mais alguma coisa, comparando o que cada um tem, com o que tem o seu amigo ou o seu inimigo, consoante as conveniências pessoais do momento.

Por exemplo, gostava de ouvir dizer que o teu Zorrinho é pior que o meu Montenegro, ou que o meu Zorrinho é melhor que o teu Montenegro, dependendo de qual dos dois ‘proprietários’ partia a afirmação.

Mas, também seria interessante ouvir o nosso presidente, na qualidade de avaliador mor das nossas instituições, dizer que, o meu Coelho é maior que o Seguro dos outros. Seria outra maneira de dizer: o meu é maior que o teu.

Em resposta, Seguro podia responder, lembrando o conteúdo do painel publicitário, os teus são maiores que os meus. No caso, os caloteiros autárquicos, obviamente. E nós, contribuintes, somos os maiores otários.

Mas, muito maior que o meu e que o teu, é o homem do Pingo Doce. Para ele, os governantes não veem nada para além do Cristo Rei. Local de onde diz ao PM, lá do alto: Como podes ver, o meu é muito maior que o teu.

Provavelmente, quereria dizer lá na sua, que as vistas que dali ‘descortinava’, lhe permitiam ver ao pormenor, não só o nevoeiro intenso que rodeia o palácio de S. Bento mas, com toda a perfeição, tudo o que se passa lá dentro.

Voltando ao Porto, onde Rio quis afirmar, por outras palavras, que o dele, era muito menor que o de Menezes, só se justifica tal barbaridade, porque Rio já não vai candidatar-se. Senão, diria somente, ‘qu’era melhor qu’a Gaia toda’.