Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

 

O país e os portugueses são os grandes alvos da verborreia que já mexe por aí em tudo o que bota opinião e em tudo o que se considera voz de comando de alguma coisa ou de alguém. Se isto não prenuncia eleições, o caso é estranho.

É estranho porque até o ministro da defesa já está em alerta laranja, fazendo prevenções ao país do perigo de o líder do PS não chegar às autárquicas. Mas, será muito mais grave se o próprio ministro estiver com medo de não chegar lá.

Aliás, a autoria dessa novidade é do deputado Montenegro, grande especialista em assuntos socialistas, paladino da ironia e da sugestão, conseguindo descobrir aquelas verdades que já se tornaram célebres no seu partido.

Já o ministro da economia, sempre que tem alguma dificuldade em justificar os seus fracassos, não hesita em atirar com o PS como cortina de fumo para se livrar de mais conversa. Ele até tem um jeito muito especial para se babar.

Certamente que o país e os portugueses estão muito mais preocupados com o governo e com o que ele faz, ou deixa de fazer, que com o facto de o PS mudar ou não mudar líder. Tanto mais que o PS, para o PSD, é só um zero à esquerda.

Ora, assim sendo, não se justifica que o PSD se preocupe tanto com quem lhe não faz falta nenhuma. Mas, na verdade, sempre dá jeito para lhe servir de capa para as suas insuficiências e para os seus medos. Os medos dos votos.

Que ataquem o PS pelo que ele diz e pelo que ele faz, é a luta política partidária normal. Que se sirvam do PS para justificar o que não são capazes de fazer ou justificar, já me parece uma espécie de cobardia política.

Mais grave ainda é, logo a seguir, todos eles, lançarem veementes apelos ao PS e ao seu líder para, unidos, colaborarem com o governo, no interesse do país pois, dizem, só unidos se vencerá a crise. Mas, afinal, em que ficamos?

Já o PS devia estar menos preocupado com os votos e com a possibilidade de o poder lhe cair nas mãos. Está a deixar criar a ideia de que, afinal, também ele está com pressa. Já ouvimos isso muitas vezes sobre o líder do PSD.

O que me parece evidente, e como já foi ventilado em vários quadrantes, o grande perigo de eleições não vem do PS. Só haverá ida a votos se os barões do PSD deixarem de permitir mais intolerâncias dentro do seu próprio partido.  

Mesmo que isso aconteça, tudo ficará na mesma. Porque a verborreia continuará. Desde os mais simples votantes, aos mais ilustres, experientes e donos de férteis currículos, já vão dizendo agora em quem devemos votar.  

Tudo porque eles pensam que o povo é estúpido e precisa que alguém lhes meta a verdade pelos olhos dentro. O povo engana-se muitas vezes, ou deixa-se enganar muitas vezes. Mas o povo somos nós. Os estúpidos e os espertos.