Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

29 Nov, 2008

Primo Mário

 

 
Desculpa, primo, peço-te muita desculpa, mas não posso deixar de te dizer umas coisas que tenho aqui atravessadas nos gasganetes. Ah, não sabes o que são gasganetes. Desculpa mais uma vez, mas eu pensava que tu eras um barra em português e, já agora, em matemática, que são duas disciplinas essenciais.
A propósito, primo, tu até esticas os gasganetes ao máximo, pondo em risco a tua própria disciplina, portanto, não podes ignorar daquilo que falo. Quanto à matemática, vejo a facilidade com que deitas contas à vida, apesar de pensar que só podem ser contas muito fáceis, visto que somas bem os milhares mas, depois, apenas queres subtrair ‘uma’. Porém, estou convencido que, com o decorrer dos meses, ainda vais evoluir para uma diminuição mais avolumada.
Depois, certamente que já deitaste contas aos que tiras e aos que vais somar, até porque a ordem natural das coisas é que o mestre já te tenha dado instruções precisas e concretas sobre as parcelas que vão avançar. Tem cuidado, que há sempre o perigo de seres uma parcela fora da conta, o que seria uma tremenda injustiça. Contudo, essas coisas só não acontecem, a quem segura com firmeza o lápis na mão esquerda e a tabuada na mão direita. Ah, já me esquecia da gramática. É por causa do português.
Meu caro primo, lembro-te que, lá por teres ‘açinado’ um acordo comigo dessa maneira, não tens o direito de o rasgar sem me dares conhecimento prévio, já que fui eu que te emprestei a esferográfica, por sinal de ponta fina, mas de corpo bem grosso, como não encontras por aí na família, apesar de bastante numerosa. Falo da tua família, não na minha, que são diferentes, apesar da nossa proximidade familiar. Sim, isto é muito confuso, não tenho dúvidas em o reconhecer. Mas tu, inteligente como és, entendes perfeitamente.  
Desculpa lá, primo, eu tenho a noção da ‘massada’ que te estou a dar, mas tenho de ler pela tua gramática, senão acabavas por não entender nada. Sim, porque isto agora nunca mais vai parar, pois eu vou mandar uma carta que tanto pode ser semanal como mensal, para que mantenhas a leitura em dia. Sabes, primo, a leitura é muito útil a toda a gente, pois sem ela, não sabemos o que os outros dizem e pensam, acabando por não sabermos conversar nem dialogar.
Cá pelas minhas contas, este meu plano de te manter a leitura em dia, deve durar prá aí quase um ano, depois ambos avaliaremos se os resultados foram positivos ou negativos. Desculpa lá, caro primo, não fiques receoso, porque tenho a certeza que vai ser tudo positivo. E, sobretudo, espero que os meus pedidos de desculpa evitem que deixes de me falar, pois as minhas intenções são as melhores do mundo. Já agora, e arredores também, como eu penso que as tuas ideias têm uma universalidade indiscutível.
Desculpa mais uma vez, primo Mário mas, com um grande abraço, só desejo ardentemente que compreendas que todos estamos sempre a aprender, seja lá qual for a disciplina em questão.