Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

10 Mar, 2013

ENTÃO, PRIMA !...

 

Já lá vai tempo que não falava com a minha prima Ambrosina. E que saudade que eu tinha das suas previsões sempre sensatas mas, ao mesmo tempo, a tender um bocadinho para dar guita a mais, à sua língua um tanto comprida.

Surpreendeu-me agora com a descoberta de uns sinais que ela ainda não soube distinguir claramente, se são alarmantes ou favoráveis, para a evolução da situação que o país enfrenta. Mas garante que vão ser maus, ou muito maus.    

Sobretudo, depois do conhecimento daquele já célebre prefácio que a minha rica prima diz não ter lido mas que, afinal, também não precisa perder tempo com coisas dessas, porque a vida dela até dava um bom romance sem prefácio.

Como quem não quer a coisa, sempre me foi dizendo que é pena que os nossos maiores não leiam os romances da vida de muitos portugueses que os viram rasgar-lhes muitas, a maior parte, das páginas desses romances.

Imagine-se que a minha prima até já está a topar os jogos que não vêm no prefácio, nem tão pouco no livro. Sim, diz-me ela, isto não pode ser como na última mudança de governo. Não se pode cometer o mesmo erro duas vezes.

Não tenho dúvidas de que ela está a ver o jogo de Seguro, agora, como foi o de Passos então. Agarra-se ao presidente com unhas e dentes, não para o morder ou arranhar, mas para ver se lhe dá a mesma oportunidade que deu ao outro.

A minha prima acha uma incoerência, alguém dizer que o presidente quer manter a estabilidade. E pergunta zangada: então quer agora, o que não quis então? Não está agora no seu feitio, o que fez, contradizendo-o naquela altura?

E, voltando atrás no tempo, recorda que se diz por aí, incluindo no governo, muita coisa tonta. Por exemplo, que não havia dinheiro para salários, vencimentos e pensões. Olha que maravilha. Se não chumbassem o PEC4 havia.  

E mais zangada ainda, continua: o país estava numa situação insustentável? E agora, está melhor? Sócrates foi desleal a Cavaco ao não lhe dar conhecimento antecipado do PEC4. E Passos, é leal ao contrariar o presidente a toda a hora?

Sem nunca me dar oportunidade de intervir nas suas amarguras, diz que Seguro está apaixonado pelo presidente, do mesmo modo que Portas lhe anda a arrastar a asa, por ver que Coelho já perdeu o Pedro e está a perder o Passos.

Aliás, diz-me sorrindo, está a perder tudo. Que tem ele agora? Já nem a troica é amiga dele. Diz que ele não sabe comunicar. Que só sabe falar de Sócrates. Esquece que Sócrates ainda teve um ‘grande irmão’. Lá longe, mas teve.

Não tive outro remédio que não fosse dizer à minha prima que era melhor ficarmos por ali. Disse-lhe que não convinha dizer coisas alarmantes, senão a troica ainda ia embora e deixava o governo sem dinheiro para lhe pagar.