Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

27 Mar, 2013

O PRESIDENTE PAPÃO

 

Tem-se falado muito do novo Papa, devido à sua simplicidade e aos seus princípios que rapidamente pôs em evidência, desde que apareceu em público após a sua eleição. Contra todas as espectativas e contra todos os hábitos.

Pois bem, a partir de hoje, quarta-feira, as atenções e os holofotes focar-se-ão, não no Papa, mas no Papão que, no dia do seu batismo, já lá vão muitos anos, recebeu o nome que viria a tornar-se um fenómeno nacional: Sócrates.   

Além de vir aí como um papão, é também anunciado como um presidente que está a iniciar o caminho que o levará a Belém. Resta ainda saber se ele será um presidente papão, ou um presidente papa tudo. Os comentadores não o dizem.

Tive a sensação de que, agora mesmo, ao escrever estes nomes, o computador, todo ele, tremeu. Eu próprio fiquei mais de um minuto como que petrificado, sem o mínimo poder de dar seguimento ao raciocínio. Mas, aqui não se nota.

O mesmo não acontece por esse país fora, nesta quarta-feira. Vai por aí uma agitação tremenda. O povo está cheio de medo do que vai dizer o papão. O povo continua cheio de medo de voltar aos tempos das misérias que lhe deu.

O papão vai voltar a destruir tudo o que depois dele foi reconstruido. Vai voltar a atentar contra o presidente e contra o governo. Vai destruir a oposição e acabar com os sindicatos, com as liberdades e com as empresas e as famílias.

Vai ter ao seu serviço todas as forças do mal, para tornar este país muito pior do que está agora. Já se sabe que vai superintender clandestinamente nos serviços secretos de espionagem, com escutas e filmagens a todos os cidadãos.

E, muito pior que tudo isso, vai ditar as suas ordens a todo o país através da RTP. Ordens que podem chegar a todos os extremos, como sejam brincar com a vida das pessoas, ou instigar os seus loucos acólitos a brincar com o país.

Com a agravante de que vai ser presidente. E a gente sabe como os presidentes são. Papões, que só de ouvi-los ficamos a tremer. E se todos os comentadores dizem que ele vem para ser presidente, ele será mesmo presidente. Não falha.

Desconfio que já descobri a origem de tanto chinfrim levantado pela multidão de comentadores. É que ele, Sócrates, com o ascendente que cria onde se mete, vem para se tornar presidente do sindicato dos comentadores, a criar.

Isso incomoda muitos deles, pois não mais se vão limitar a malhar em ferro frio. Porque Sócrates, o presidente deles, não é ferro frio, mas sim ferro bem quente, ao rubro, onde nem um grande martelo vai poder malhar à vontade.

Porque só o nome escalda, queima, assusta. Exatamente o contrário dos muitos sindicalizados, que passam sem se dar por eles, que escrevem ou dizem as coisas a que ninguém liga nenhuma. Com ele é tudo diferente. É Sócrates.

E este pré presidente vai criar, e já fez criar, mais empregos nos privados, que o governo no público, pois aqui, apenas entraram dois comentadores. Ele e outro. No privado, os novos comentadores já constituem um enxame.

Agora o grande receio de muitos dos papa tudo, reside no facto de temerem que o presidente, papão, sindicalista, venha acabar com a resiliência que tanto trabalho lhes deu a encontrar. Resiliência: que raio de termo este.