Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

10 Abr, 2013

Coelho descongelado

 

A arca congeladora de Gaspar está agora mais aliviada depois de ter descongelado Relvas há uns dias atrás, e um Coelho no dia de ontem, precisamente, no dia em que resolveu congelar o país inteiro.

Obviamente que não o meteu na sua arca, mas confiscou todos os meios nacionais de congelação. Dizem que Gaspar é um tratado de contradições. Congela o país e descongela Relvas e Coelho. Mas que coisa.

Então não se está mesmo a ver que tudo o que se descongela tem de ser imediatamente consumido? Ora se o país está congelado não pode consumir absolutamente nada. Será que Gaspar é capaz de consumir Relvas e o Coelho?

Tudo indica que é capaz de tudo. Mas também tudo indica que, se os consumir, então também se estará a consumir a si próprio, pois é das regras da congelação, que se corre o risco de se consumir o que já está estragado.  

Esperemos que Gaspar não se congele a si próprio, pois isso seria uma tragédia para um país congelado. Sim, porque só Gaspar nos pode descongelar no futuro. Obviamente, se ele próprio não estiver congelado.

Além disso, Gaspar está a tentar tudo para obter lá fora, o apoio necessário à nossa descongelação. É, sem dúvida, uma política de mestre. Como não pode ter o apoio de gente congelada, vai pedi-lo aos que, como ele, ainda mexem.

O grande perigo desta deriva estrangeira é acabar a pedir ajuda a quem possa interpretar mal o seu pensamento expresso com muita clareza, mas também com um timbre de voz muito sumido, talvez em vias de congelação.

Aliás, se falharem as negociações que tem na mente, ninguém nos garante que não se vira, por exemplo, para a Coreia do Norte, atraído pelo calor dos mísseis que descongelariam tudo e todos num abrir e fechar de olhos.

Mas é que nem os palácios de Lisboa escapariam. Gaspar, sem o Palácio Raton, ficaria radiante, mas sem o de Belém e de S. Bento ficaria muito deprimido. E teria de pedir refúgio na embaixada destruidora. Ora, parvoíces minhas.

Nada de especulações de gente congelada. Há sempre maneira de resolver problemas, ainda que de um técnico de frio como Gaspar. O país encontrará no frio uma solução. Pode ser que haja um descongelado que congele Gaspar.