Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

19 Abr, 2013

UM PARTIDO BARATO

 

Segundo o meu barómetro dos vendilhões do estado, onde se vende tudo e mais alguma coisa, temos um partido no poder que está a desvalorizar-se ao mesmo ritmo que a dívida do país vai crescendo a cada minuto que passa.

Isso quer dizer que esse partido corre o risco de cair na bancarrota dentro de algumas semanas, pois é evidente que já não pode fazer o que era habitual. Meter a cabeça toda dentro do pote, porque isso foi a primeira coisa que fez.

Muitos dos seus ilustres barões assinalados, bem assinalados como agentes de limpeza de cofres, continuam a contribuir para que o estado não consiga levantar a cabeça, arrebanhando o que podem, sem repor nada do que tiram.

Quer dizer que esses militantes, ou ex-militantes, estão podres de ricos, enquanto o partido que fez deles o que são, está à beira da falência. Mesmo que o queiram privatizar, ainda terão de dar dinheiro para que o aceitem.

Há hoje um grande consenso nacional, ao contrário do que dizem alguns desatentos. E esse consenso passa por todos os partidos, incluindo muita gente do grande desvalorizado e do seu parceiro de queda nas cotações.

Também a sociedade em geral já não dá nada por eles. Se os agiotas que comandam tudo, tivessem que se pronunciar, não hesitariam em atribuir-lhe a medalha de uma notação honrosa de lixo, mesmo próximo de tóxico.

Por isso, há um grande consenso nacional que não oferece dúvidas: todo o lixo, só tem um lugar – no contentor. Quem gostar de lixo, que arregace as mangas e meta lá as mãos. Por questões de higiene, convém não esquecer as luvas.