Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

25 Mai, 2013

HOJE HÁ PALHAÇOS

 

Vamos ao circo para ver se encontramos lá uma boa dupla de palhaços que nos faça rir a bandeiras despregadas. A vida anda demasiado monótona e triste, mesmo a precisar de uma saída de casa. Mas, atenção ao bilhete.

Porque a este circo só vai quem tem dinheiro, logo, só quem pode comprar bilhete, tem direito a rir. Às vezes penso que o nosso país é assim uma espécie de circo, onde os palhaços só atuam para alguns. Está-se mesmo a ver quais.

Se houvesse um pouquinho de equidade nos espetáculos circenses, podíamos ter palhaços de todas as classes sociais. Para que fizessem rir todos os portugueses, embora admitindo que a qualidade não podia ser igual.

Porém, o circo dos pobres é outro. Os seus pretensos palhaços são uma espécie de vampiros que não fazem rir ninguém. Portanto, chamar-lhes palhaços, é o mesmo que chamar salvador ao cangalheiro que vai saindo na rifa a alguns. 

Sabemos que em qualquer circo de nível razoável há o palhaço pobre, mal vestido e mal calçado, e o palhaço rico, com vestes coloridas brilhantes, além de sapatos com grande biqueira. Por causa dos pontapés no traseiro do pobre.

No circo do país também é mais ou menos assim. As palhaçadas que fazem rir, estão circunscritas aos salões dos palácios, onde só ri quem tiver convite. Aí, aliás, os que provocam as melhores gargalhadas, são os ‘palhacianos’.  

Aliás, devo confessar que adoro palhaços. E o país não tem só um. Tem vários e de excelente propensão para fazer rir alguns amigos. Não vou dizer que adoro este ou aquele, pois isso poderia causar algum ataque de ciúmes a algum deles.

No entanto, devo esclarecer que há os engraçadinhos e os que têm montes de graça. Por vezes a palhaçada corre mal a um e, a cada graçola que tenta, é logo apelidado de palhaço. Está mal. Um verdadeiro palhaço nunca diz gracinhas.

Está muito difícil a vida de um palhaço pois o riso, neste grande circo, está cada vez mais caro para os palhaços pobres. Para os palhaços ricos, ainda vai havendo umas gargalhadas. Mas, ainda podemos dizer que hoje há palhaços.