Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

30 Mai, 2013

TECNOQUÊ?

 

Forma, estão a segredar-me ao ouvido, como que recordando-me uma das muitas formas de fazer desaparecer os nove milhões por dia que, durante vinte cinco anos, alimentaram muitos dos tubarões que ainda hoje dominam o país.

E que, com a sua verdade e seriedade, lá têm conseguido fazer a transferência dos haveres mínimos da pobreza para a sua riqueza máxima, como se isso fosse uma boa maneira de praticar a sua bondade para quem realmente precisa.

Como muitas vezes fui referindo ao longo de muito tempo, a verdade acabaria por sobrepor-se a todas as mentiras que os lacaios desses tubarões foram espalhando, como se fosse possível que elas, as mentiras, fossem eternas.

A forma como o fizeram, as formas que eles criaram para lançar poeira para os olhos dos que só podem, ou querem, ver o que lhes metem na frente dos olhos, é uma forma com tecno, mas com uma técnica muito rudimentar.

O que eu acho muito curioso, é que as autoridades portuguesas, tão lestas e persistentes a investigar o que não dá em nada, não se metam com estas formas, com ou sem tecno, ao menos para acabar com as nossas dúvidas.

Tenho a sensação, e não serei só eu a tê-la, que o governo anda muito pendurado de casos que, na justiça, andam ou param, consoante de quem se trate. Pois não custa muito ver como são tratados os que mais podem.

E os que mais podem são os do poder. Mesmo que, uns e outros, não saiam da comunicação social. Mas, é tudo uma questão de conteúdo e, principalmente, do tamanho das letras ou da entoação da voz de quem fala. Quando se fala.