Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

 

Os bons alunos a que me refiro são os maus políticos, especialmente, os governantes, que nos mostram como se aprende a mentir com um descaramento que arrepia qualquer cidadão que pretenda percebê-los.

Os maus professores são os políticos europeus que, no meu modesto entender, emigraram dos seus países de origem, por não conseguirem convencer ninguém dos seus dotes para ensinar teorias do fracasso.

Temos realmente bons alunos que sabem copiar na perfeição tudo o que os seus professores lhes ditam. Até temos um professor catedrático que fugiu de cá, para lá mas, quanto a exames, o ano parece perdido.

Temos também o privilégio de ter alguns bons alunos que vieram de lá, para cá, cheios daquela bazófia de que sabiam tudo, precisamente porque já eram bons alunos dos maus professores que tinham por lá.

A verdade é que, por cá, apenas têm conseguido ter boas notas em canto coral, mas o povo não consegue sequer aprender o refrão das suas cantorias. Até pode ser por terem a língua um tanto comprida.

Tenho aquela estranha sensação de que uns vieram ainda muito verdes julgando-se maduros. Outro já veio maduro, mas depressa deu a sensação de que estava verde de podre, logo que começou a mostrar a sua cor.

Com a época de férias à porta, tudo indica que os bons alunos vão chumbar nos exames já marcados. Porque sabem muito pouco da matéria dada mas, principalmente, por mau comportamento nas aulas práticas.

Os maus professores que esses alunos tiveram, não se entendem quanto aos previsíveis maus resultados que os seus bons alunos vão obter. Começam a sacudir a poeira que se acumulou nas suas cabeças doutorais.

Depois, não se compreende que esses tão bons alunos e esses tão maus professores, tenham visões tão semelhantes em matéria das greves que tanto os azedam. Pelo contrário, deviam ver na greve a sua salvação.   

Uma vez que já vão com vários anos perdidos, podia ser que alguém se lembrasse de lhes dar, em lugar de notas nos exames desta época, uma passagem administrativa generalizada. Ou seja, uma borla geral.   

Talvez seja essa a solução encontrada para que os bons alunos se safem e os maus professores tenham vergonha da situação que criaram às pobres criancinhas e aos seus papás e mamãs a quem tanto fizeram sofrer.