Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

 

Ou muito me engano, ou já ouvi coisa semelhante em outra época e com outro termo e outro protagonista. Mas não será muito difícil descobrir nos dois casos, um certo sonho, sabendo-se hoje, como o outro terminou.

Tudo indica que, mais tarde, ou talvez mais cedo do que se pensa, também vamos saber como termina este sonho de alguns, que é pesadelo de muitos. Para alguns, vai mesmo terminar bem. Para muitos, muito mal.

Aliás, o mal agrava-se de dia para dia, apesar de que, para alguns, o mal é cada vez menor. Talvez porque Passos, por não ouvir na rua o estímulo de ‘força, força’, faz ele uma força colossal para que seja ele o estimulador.

Deixa implícito o bom estímulo de que as greves não fazem cá falta nenhuma, pois seria muito útil para o país, que os grevistas estivessem a trabalhar. Bravo senhor Passos, só falta dar-lhes trabalho.

Todos os portugueses teriam o maior gosto em estar a trabalhar amanhã, mesmo sabendo que o senhor empresário Passos e os seus empregados, não aderindo à greve, também não mostram trabalho que se veja.

Mas, ao menos, não prescindem do dia de salário que os grevistas vão perder. É mesmo assim. Quem precisa não recebe, quem tem demais, não desiste de arrecadar o mais que pode. Mesmo com pouco trabalho.  

Força, companheiro Passos. Mostre a sua força a quem já a perdeu. Mas, mostre também a sua força, a quem ainda persiste em lhe pedir meças. Porém, não caia na tentação de desafiar as forças que o mantêm.