Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

29 Jun, 2013

UM GRANDE PORTO

 

D. Manuel Clemente disse há dias que ‘Portugal precisa de ser um grande Porto’. Julgo que compreendi a ideia mas, quem leu apenas os títulos de notícias que surgiram a propósito, pode dar-lhe várias interpretações.

Geograficamente, um grande Porto, pode ir até Bragança, na horizontal, e até onde os portuenses desejarem no sentido vertical do mapa do país. Mas, convém não exagerar para não complicar ainda mais, o clima social.

Se vamos para a vitivinicultura, é verdade que o Porto, é quase um símbolo nacional. Mas cuidado, no grande porto e no resto do país, há muita pinga que nos deixa a arregalar o olho para muitas garrafas.

Dos verdes aos maduros, passando pelos rosés e espumantes, Portugal não precisa de ser apenas um grande Porto. Em casa, nos restaurantes, nos bares ou nas tascas, os portugueses precisam muito, de bons vinhos.   

Se queremos apreciar as gentes simples do Porto, sabemos que são, o que não são muitos dos seus eruditos regionalistas exacerbados, alguns até muito egoístas nos seus juízos sobre o país. Que não é o que eles querem.

Mas, se pensamos em comidinha, então aí, o país não ficava mal servido se todo ele fosse um grande Porto. Desde que não substituíssem nada. De tudo, em todo o lado mas cada roca com seu fuso, cada terra com seu uso.      

Como não podia deixar de ser, um grande Porto, futebolisticamente falando, é indispensável ao país. Mas, não só ele. Um, sózinho, não compete. Portanto, neste aspeto, o país não precisa ser um grande Porto. 

Obviamente que D. Manuel Clemente não se quis meter por estes ínvios caminhos que eu tanto gosto de trilhar. Cada um diverte-se como quer e como pode. Bem mais me valia ter estado a rezar pelo estado do país.