Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

 

A troika diz que não volta a Portugal enquanto não tiver os três do seu lado. Estas coisas ditas assim, podem levar a que uns tantos brincalhões se divirtam e tentem fazer com que todo o país se divirta à custa deles.

Portanto, a troika não tem que pedir o que já tem. Ou o que ainda tem. Agora, admitindo que algum dos seus elementos anda a contar pelos dedos, o que eles querem é o apoio de um quarto elemento. O Tó Zé.

Isto demonstra que a troika tem os três, mas insiste em que quer lá incluir um quarto elemento, que considera insubstituível, indispensável e essencial. No entanto, continua a não modificar a linguagem dos três.

A não ser que queira excluir o presidente, para que os outros fiquem efetivamente a ser considerados os três. Tal interpretação corre o risco de levar à conclusão de que o excluído não faz lá falta nenhuma.   

Pode até haver quem ouse dizer que faz lá mais falta, o Tó Zé, que o presidente. Ora, isto é, de certo modo, a subversão do nosso sistema político. Coisa que o nosso presidente tinha de estudar muito bem.

Mas, para estudar muito bem o assunto, precisa de muito tempo. No entanto, ele quer dar muito pouco tempo para que os três se entendam. Quem se lixa é a troika que está ansiosa por vir cá recuperar os três.

Acontece que os três que a troika anseia por vir encontrar, se vier e quando vier, já não serão os três subscritores mais desejados, mas um lote, também de três, mas muito menos valioso e até de menos confiança.   

Só por isso, os três substitutos dos três da vida airada, têm a dificílima missão de tentar tirar um nó que nunca foi desatado. Agora, serão dois a puxar de um lado da corda e apenas um a puxar do outro lado.

Não é difícil prever que a troika vai mesmo ficar sem os três. Melhor: vai ficar só com dois, porque o outro, vai preferir escorregar e estatelar-se, a deixar-se enrolar na metade da corda do seu lado. Mesmo sem ela partir.

Ao que consta, no dealbar deste segundo dia de ‘triálogo’, a corda deve ter ficado muito mais esticada, pois o lado dos dois foi reforçado com uma data deles, enquanto do outro lado da corda, o terceiro lá continua só.