Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

04 Ago, 2013

LIGA, LIGA!...

 

Faz-me muita pena ver figuras com prestígio metidas nesta chinfrineira do, liga, liga, que invadiu todas as televisões, nos fins-de-semana. É uma tarde inteira nesse frenesim de dar milhares de euros em troca de uma chamadinha que só custa uns míseros cêntimos. Fácil e barato.

O mais chocante é a doideira com que se faz crer que, ligar, é ganhar, e ganhar é mudar da vida sombria, para uma vida cheia de luz e felicidade. Tudo ao som de música delirante, de frases e ditos foleiros, em que o povo não acredita, mas faz questão de entrar na onda da parvoíce.

Porque o povo tem de entrar em qualquer coisa para varrer do pensamento esta tontice de vida de que não consegue libertar-se. Tal como não deixa de entrar nos concursos da treta, onde tudo é alegria, mesmo quando a aldrabice em forma de riso é uma constante.

Ouvi hoje numa das televisões, mas vai ouvir-se em todas, como é habitual, um pastor poeta dizer que ‘já cá temos cães demais’. E, para meu desencanto, não apanhei o que quis ele dizer com a referência a ladrar. Depreendo que esses cães, ou alguns deles, ladram demais.

Neste mês de Agosto, mês de férias para quem pode tê-las, é preciso um pastor que nunca as teve na vida, mas que já faz parte do liga, liga, ter ainda o bom senso de pensar, no meio do seu rebanho, nos cães que falam de menos e ladram demais. E olha o seu cão que só lhe falta falar.

Fico, porém, com muitas dúvidas de que o pastor poeta se inspire em outros rebanhos mais numerosos que o seu, e queira comprometer o seu cão, com o ladrar de outros cães que ele só conhece do que ouve no rádio de bolso, por entre os pimbas e os apelos doentios de liga, liga.