Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

 

 

Passos já não sabe onde cortar mais do que já cortou. Já meteu a tesoura em tudo o que podia render acréscimo para as insaciáveis necessidades deste estado consumidor de todos os suores laborais dos cidadãos.

Entrou agora na fase de cortar todas as leis que lhe não satisfazem os instintos de poder ilimitado. Há que revogar, anular e legislar, segundo essa nova ordem de cortes para encurtar tudo o que ainda esteja à justa.

Contou agora com a preciosa ajuda de um homem que não entende, tal como Passos, esta sociedade que se queixa demais, que só se sente bem neste mar de lamúrias, neste pessimismo causador te todos os males.

E vai daí que sugira a toda a gente, políticos da oposição, cidadãos influentes do país, televisões, rádios, jornais, que falem mais (só?) de casos de sucesso, porque é assim que o país prospera e se torna feliz.

Depreendo eu, obviamente homem limitado, que o relato de tudo o que de mau temos no país deve ser deitado para trás das costas. O que é mau é para ser esquecido. Quem está mal que vá chorar na porta do cemitério.

É preciso que todos os cidadãos conscientes se mostrem felizes e contentes, mesmo que atolados na miséria. Nunca as televisões devem mostrar gente desesperada que chora. Ou mostrar crianças famintas.

Em lugar dos bairros onde faz dó entrar, devem ser mostrados os palacetes onde vivem os que se amanharam com o que não lhes pertencia. Ou as mansões dos que nunca serão atingidos pelos cortes.

Em suma, como já pouco mais há para satisfazer a gula de cortes infindáveis, está na hora de se começar, ou de continuar com mais afã, a sede de cortes na língua de todos aqueles que têm por missão informar.