Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

 

 

 

Cada vez se levantam mais vozes clamando contra uma espécie de fantasmas fascistas que já andam na mente desses autores de previsões mais ou menos realistas. Fantasmas ou não, já há quem diga que os vê.

Do mal, o menos, se o fascismo for higiénico, como referiu o deputado João Almeida do CDS, a propósito de cães e gatos de que se ocupa a ministra Cristas, também ela do mesmo partido. Mas não percebo a frase.

Ora, se há fascismo por parte da ministra nessa proposta sobre os animais, então é a ministra Cristas que anda às voltas com a higiene. Do fascismo obviamente. Senão, fascistas higiénicos, eram os pobres gatos e cães.

De qualquer forma, fascismo há, e parece estar assegurado que também é higiénico. Ainda bem. Mesmo que se limite a seis animais por apartamento. Cada um com o seu reservado. Pior que o cheiro é o espaço.

Por outro lado, já estou preocupado pelo facto de se reconhecer que o país já tem fascismo. E muito mais preocupado ficarei se me disserem que já temos fascismo não higiénico. Então, não fica por cá ninguém.

Ninguém, é uma força de expressão, pois depreende-se que aqueles que o introduzem, vão querer usufruir das benesses que viram nele. Esses ficam, felizes. Depois, entre eles, verão que uns são mais fascistas que outros.

A claustrofobia democrática, ao tempo tão propalada pelo euro deputado Paulo Rangel, já teve o seu tempo. Gostava de saber o que pensa ele agora de fascismos. Não me admiraria que ele tivesse saudades da claustrofobia.