Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

05 Nov, 2013

CRATONICES

 

 

O ministro da Educação informou o país que a nossa salvação necessitaria que todos os portugueses trabalhassem um ano inteiro sem comer. Só não disse que espécie de estudo brilhante o levou a esta conclusão.   

O ministro Crato até podia ter concluído que bastaria que os portugueses que comem demais, comessem da mesma forma que os portugueses que comem de menos, para produzir os mesmos resultados, sem tanta fome.

Também podia ter-se debruçado sobre os portugueses que trabalham demasiado e os que não fazem nenhum. Talvez o conhecimento da média evitasse esse tal ano inteiro e passar para uns tantos meses a menos.

Mas, o ministro Crato podia ter lido atentamente o relatório produzido em 2011, sendo ministra da Educação, Isabel Alçada e primeiro-ministro José Sócrates. Aprenderia, com certeza, uma maneira melhor de arranjar pilim.

Com a grande vantagem de não haver professores sem trabalho e deixar ficar no ministério os incontáveis milhões que vão meter, somados aos que eram para acabar, no grande e vergonhoso financiamento ao privado.

Com esses milhões podia, por exemplo, acabar com esse mito de que o privado é melhor. Não tirem do público os milhões que lhe pertencem e terão o milagre de dar ao público a excelência que lhe estão a roubar.

Se o governo, com todos os seus aprendizes e acompanhantes, não sabe, ou não quer fazer contas que não sejam de sumir, basta pedir, por favor, claro, que a TVI faculte os resultados do estudo que agora nos mostrou.     

Se somarmos todas as ‘cratonices’ a todas as cretinices de todos os restantes ministérios e administração pública em geral, certamente que o país não necessitaria passar tanto tempo a trabalhar sem comer.