Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

 

 

As pressões sobre Seguro e sobre o PS para que receba o abraço da paz da direita e se junte a ela no errático orçamento, já são quase tão fortes como as pressões exercidas sobre o Tribunal Constitucional.

Até parece que vai ser Seguro a aprovar o dito orçamento, ou que é normal o relacionamento entre Passos e Seguro, para que se abracem na queda fatal. Como se não houvesse os dias não, da repulsa por Seguro.

As pressões da direita já desceram ao nível da rua, talvez porque lá mais para cima, a coisa esteja mesmo preta. Talvez não fosse descabido que os pressionantes relembrassem algumas passagens dos seus mimos a Seguro.

Ou talvez não fosse despropositado que os pressionantes a todos os níveis, não esquecessem o que diz a tradição. É que os fiéis parceiros da direita têm sido o PCP e o Bloco. Logo, é a eles que devem pressionar.

De todos os lados chovem opiniões insuspeitas de que o governo de direita não tem a razão do seu lado. Em muitos casos, concordantes com algumas das propostas de Seguro, sempre recusadas.

Mas, é caso para dizer: afinal a direita quer o quê? Que o PS se transforme em PD, partido da direita? Já bem basta que o seja de facto, em muitas ocasiões em que se trai a si próprio. E eles a dar-lhe. Deixem-se de tretas.