Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

22 Dez, 2013

JÁ PASSOU!...

 

 

Não me recordo de ter observado tão fortes e tão demoradas dores de barriga de tão ilustres personalidades nacionais e estrangeiras. Desconfio que algumas delas terão mesmo ocasionado incómodas diarreias.

De Lisboa a Berlim, passando por Bruxelas, foram muitos meses de angústia e lamúria, sempre com recados para dois palácios. Os valentes também se borram quando lhes apertam os caminhos para a descarga.

Ainda bem que tudo voltou ao normal e agora já se pensa apenas na melhor maneira de fintar os virulentos causadores da anormalidade sanitária. Como sempre, fletindo um bocado mais para a teimosia.

É o sentimento do costume: ai não passou isso? Não vos ficareis a rir, porque vai passar muito mais. Será mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha, que nós ficarmos retidos no vosso crivo.

A propósito de camelos, eu sou um entre os milhões de portugueses que os veem passear o seu poderoso sentido de peso, perante a cada vez maior fragilidade que as suas quatro patas e duas presas nos impõem.

Por agora, as dores de barriga já passaram, deixando os costumados e incómodos azedumes à espera de poder devolvê-los. Mas há perigo de todas as dores se transformarem em cólicas. Afinal, ainda nada passou.