Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

27 Jun, 2008

Vai um tintinho?

 

 
 
Um pouco mais de quarenta por cento dos portugueses pensam que sim.
Cerca de trinta por cento pensam que não, mas talvez.
À volta de vinte e poucos por cento pensam que não, mas não mesmo.
Os que pensam que não, mas talvez, andam num dilema permanente, por causa da coerência, mas, acima de tudo, por causa da consciência.
Às vezes apetecia-lhes pensar que sim, mas envergonham-se de não terem pensamento diferente dos seus maiores adversários.
Daí que lhes surja o talvez como tábua de salvação.
Os que pensam que não, mas não mesmo, estão sempre em desacordo com os que pensam que sim. Mas, também estão sempre em desacordo com os que pensam que não, mas talvez, embora quando querem fazer uma birra maior aos do sim, se ponham ao lado do talvez, para fazerem o berreiro de que não prescindem.
Os que pensam que não, mas talvez, também não gostam mesmo nada dos adeptos do não, não mesmo, mas juntam-se a eles na hora de reclamar a mama.
Sim, porque quem não chora não mama. E, pensam eles, quantos mais forem os que choram, mais leitinho vai aparecer.
E os que pensam que sim, sorriem. Sorriem, e às vezes até riem com gosto, porque todos os que pensam que não, não se entendem. Porquê? Porque uns querem leite, enquanto outros preferem chocolate.
Porém, os que pensam que sim, dizem que são portugueses de barba rija, logo, quem tem sede que beba um tintinho.
 E logo acrescentam:
“A mama é exclusivamente para bébés.”