Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

14 Mar, 2009

Qual período

O período é uma coisa muito complicada e não me venham cá com tretas que isso é só para um dos sexos. É que há gente que ainda não se convenceu de que a guerra dos sexos já terminou há muito tempo, mesmo muito antes de se falar em novas oportunidades para os candidatos e candidatas a novos ajuntamentos.

Aí está a confirmação de que a desculpa do período já não passa em todo o lado, nem em todas as oportunidades, porque tanto eles como elas não precisam de andar a fazer contas de cabeça, desde que resolveram acabar com essas questões de sexos opostos. Opostos uma ova, pois agora só há oposição onde eles e elas querem, e mais nada.
É por isso que fazer oposição já não tem períodos, e muito bem, pois também é bem evidente que as asneiras se fazem em qualquer altura, sem estar à espera que seja o período apropriado para elas. Há até quem diga que é um sinal de liberdade, não estar sujeito a limitações, ou períodos, quando alguém quer descarrilar ou andar na linha.
O que conta é a gente poder fazer o que nos dá na real gana, ainda que, mais tarde ou mais cedo, acabemos todos enganados, quantas vezes muito para lá do período de validade, o que não nos deixa a mínima oportunidade de reclamar os nossos direitos, só porque os perdemos num período infértil da nossa decisão.
Mas, o período fértil aproxima-se a passos largos e isso nota-se até no cantar dos passarinhos, das andorinhas que nos acordam pela manhã, no rodopio à volta dos seus ninhos nos beirais, dos telhados que ainda os têm.
Esse período fértil também agita os passarões e suas congéneres, no rodopiar característico da construção dos seus ninhos, com vista ao alojamento das suas ninhadas, pois aí, ainda não chegou a crise da procriação, nem dos vermes que os irão alimentar. Tão pouco dos chilreados que os irão animar constantemente.
Para nós, que não somos passarinhos nem passarões, notamos um burburinho que cresce à medida que os três períodos férteis se aproximam. Para uns serão períodos a mais, para outros serão períodos a menos, dependendo da virilidade política e do conceito de periodicidade activamente praticada por cada um dos fertilizantes e cada uma das fertilizadas.
Parece que devíamos estar todos felizes e satisfeitos, mas não é bem assim. Se o burburinho aumenta, também aumenta a tensão e o nervoso, causas perniciosas para o normal desenvolvimento da fertilidade.
Se nos dois primeiros períodos, os resultados não são muito perturbadores para os que sofrem de alguma espécie aguda, para lá de sintomas de fertilidade ou infertilidade no terceiro período, este sim, considerado de alto risco, até porque toda a gente sabe que os contraceptivos vão ter uma importância enorme na contagem, por causa da infertilidade que provocam.
Esta coisa dos períodos não devia provocar tanto frenesim, pois não há nada melhor que a calma para que o sucesso seja uma realidade. Obviamente, o sucesso do período.