Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

Para isto ser o resultado de um jogo de basquetebol era preciso que ambas as equipas fossem muito boas, diria mesmo excelentes, pois conseguir duzentos e vinte nove cestos num só jogo, seria obra. Obra de grandes artistas que quase nem teriam tempo de ir tanta vez de um cesto ao outro, quanto mais de falhar alguma tentativa.

Mas isso era, se fosse aquilo. Mas não é, porque aquele resultado aconteceu num jogo bem menos limpo que o basquetebol, onde aparecem umas escaramuças de vez em quando, é verdade, mas nada que brigue com a estrutura moral dos jogadores, nem com os seus deveres profissionais perante os clubes a que pertencem. É que ali, no basquetebol, a bola é redonda e aquele resultado só foi possível porque foi jogado com bola quadrada, num hemi poli desportivo.
Não se pode exigir um bom jogo, se os jogadores não atinarem com a bola, que nem sequer é oval, já de si difícil de agarrar, quanto mais quadrada, e perseguida por artistas que nem todos têm o mesmo sentido de posicionamento nos seus lugares, de modo a defenderem-se dos ataques adversários, e contra atacarem com coesão e companheirismo, única forma de combaterem com eficácia a união da defesa contrária.
Quando há um resultado assim, começamos logo a pensar em golos metidos na própria baliza, peço perdão, no próprio cesto, e até em lançamentos de costas, para aqueles jogadores que não são capazes de jogar frontalmente, isto é, voltados para o aro onde deviam encestar.
Depois de todo esse esforço contra natura, perdão, contra a sua equipa, é uma tremenda frustração verificar que perderam uma boa oportunidade de não andarem disfarçados com camisolas que dizem servir mas que, em boa verdade, tudo fazem para ver se conseguem derrotar. E é também uma grande frustração, verificar que, afinal, foram eles que saíram derrotados.
É caso para dizer que não há duas sem três, pois já haviam perdido os dois últimos encontros. Agora pode dizer-se que perderam os três, e vamos lá ver se a coisa fica por aqui, pois parece que a lição não tem maneira de ser aprendida, por mais aulas que resultem em furos, e por mais aulas de substituição que sejam decretadas.
É capaz de ser uma questão de insucesso desportivo de equipas mal preparadas, com técnicos de trazer por casa, que não são capazes de fazer o trabalho dito de casa, indo depois para o jogo, a fazer de conta que os adversários não sabem fazer contas, porque se esqueceram da calculadora em casa.
Neste desporto, que consegue resultados de cento e dezasseis contra cento e treze, é tudo muito complicado. Fala-se muito de arbitragem, principalmente, de verdade na arbitragem. Sim, verdade de que o próprio árbitro se reclama grande defensor, mas depois não apita quando há cestos a mais em posição irregular, perdão, de costas para o aro, onde as suas bolas não deviam entrar.
Isto é assim em todos os jogos. Há sempre quem diga que os resultados são falseados.