Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

11 Jun, 2009

Sim, papá

 

Longe vão os tempos em que os meninos e as meninas ouviam os conselhos paternais em sentido, de olhos baixos quando o assunto não era muito do seu agrado, e de boquinha calada, para não arriscar um dos castigos próprios da época.
Hoje, não só esses castigos são praticamente inexistentes, como já não há bocas caladas quando o papá dá conselhos. Mas, a verdade é que parece que também já não são muitos os papás que dão conselhos, assim com aquele ar solene de antigamente.
Talvez para suprir essa espécie de lacuna, temos agora, periodicamente, uma espécie de papá conselheiro vindo do éter, que nos diz tudo o que devemos fazer, e ainda tudo o que não devemos fazer. Pela minha parte, considero que se trata de um papá às direitas, e não tenho dúvidas de que muita gente o considerará um papá como deve ser.
Só ainda não consegui perceber o motivo porque, sendo os seus conselhos do agrado geral, não se vê que sejam seguidos como mereciam, com o mesmo entusiasmo com que são aplaudidos.
O papá, por sua vez, olha para todos os filhos, e tem muitos, como se fossem de muito tenra idade. Daí que repita a todo o momento, portem-se bem, não andem à bulha uns com os outros, isto é, à traulitada, não dêem erros quando escrevem, não digam asneiras quando falam, tenham cuidado com as caneladas quando jogam à bola, não comam muitos bolinhos senão ficam umas bolinhas, enfim, e coisas do género.
Ora acontece que, na maioria dos casos, os filhos já estão noutra, até porque não são poucas as histórias que ouvem contar acerca de alguns cotas. Depois, olham para o papá e não vêem que ele próprio se preocupe muito com as coisas que lhes aconselha, desde logo, essa ideia de não comerem muitos bolinhos. Sim, é verdade que ele não está uma bolinha, mas lá que come muitos bolinhos, lá isso come. Nota-se, perfeitamente, quando fala com voz doce.
Depois, uma parte dos rebentos está sempre desconfiada de que ele tem filhos e enteados. E a maneira como está sempre a mandar recados de uns para os outros, só confirma essa ideia, embora ele diga que é amigo de todos por igual. Uma gaita! Diz logo um dos mais reguilas.
O papá tem essa grande convicção de que é um homem perfeito e está certo de que os filhos não duvidam de que é mesmo. Ele diz, e os filhos aplaudem, até porque vão vasculhar a sua vida passada e apenas encontram virtudes nos seus cadernos. O papá fez tudo bem feito ao longo da sua vida, embora houvesse alguns ingratos que não seguiram os seus conselhos, queixando-se depois das consequências da sua independência em relação ao paternal.
De tempos a tempos gosta de reunir a filharada toda, para lhe lembrar que está no mau caminho e, então, lá vai mais uma ensaboadela geral, tipo barrela mas, cheio de força interior e razão exterior, exorta-a a fazer aqueles milagres que ele tão bem conhece, visto que já os tratou por tu noutros tempos.
Eu, como um dos muitos membros do clã, exorto todos os meus colegas, a escutarem bem o que diz o papá, mas ainda os exorto mais a fazerem o que ele manda. Quando não gostarem de algum conselho mais requentado, perdão, mais requintado, mandem-lhe um recadinho, ou uma mensagem. Isso chega. Lembrem-se que é o que ele faz.