Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

21 Jun, 2009

Ai se eu pudesse...

 

Bem sei que toda a gente gosta muito de ter poder. Ainda que sejam pequenos poderes, daqueles que nem aquece nem arrefece ver o resultado de usá-los. Mas, nesta coisa de poderes é, quase sempre, maior o desejo que o proveito.
Para muita gente, não há nada que valha o prazer de um desejo, ainda que até pareça irrealizável. Também eu tenho o desejo de querer aquilo que sei que nunca terei.
Mas nem por isso deixo de desejar ter o poder de apresentar umas tantas providências cautelares. Sim, como esta de um sócio do Benfica contra as eleições antecipadas. Aliás, como tantas outras que todos os dias são anunciadas. Que até podem ser muito legais e mais legítimas ainda. Como tantas outras legalidades que nos chateiam.
Sinceramente, na minha profunda ignorância, julgava que só se podiam apresentar providências cautelares contra o governo. Afinal, olha, elas também se podem apresentar contra alguns dos donos da bola. Ainda bem que fiquei a saber, pois tenho cá um desejo enorme de apresentar uma providência cautelar contra este abuso de uns ganharem tudo e outros não ganharem nada.
Mas esta, não é contra o Benfica, não. No entanto, também tenho um desejo enorme de o contemplar com uma, pela vergonha de fazer andar tanta gente de cara à banda.
Mas, cá para mim, andam por aí muitos ‘acauteladores’ que mais pretendem meter risco, que prevenir risco, que mais pretendem meter confusão na decisão, que salvaguardar uma decisão justa que, decididamente, não querem mesmo.
Simplesmente, eu gostava de acautelar, em primeiro lugar, a dignidade de muita gente que não a tem. Depois, gostava de acautelar o bom senso, que muitas vezes é substituído por sectarismos que causam náuseas, porque se vê a léguas de distância, os motivos que estão atrás do reposteiro.
Se eu pudesse, apresentava uma providência cautelar contra todos aqueles que cegam, ante o pressentimento de muitos milhões à vista, ou de alguma visibilidade que lhes permita sonhar com esses milhões, mesmo que completamente fora do horizonte das suas algibeiras. Só que, sonhar com eles, já dá muita felicidade.
Por vezes, os milhões são imaginários, mas a cegueira é real. Ai se eu pudesse apresentar uma providência cautelar contra essa espécie de cegueira, que está na origem de tanta escuridão que se transmite a muitos olhos alheios.
Tantas providências cautelares que tenho em mente. Tantas quantas aquelas que tenho um desejo enorme de apresentar. Mas, bem sei que ninguém olharia sequer para elas. Ai, se eu pudesse…