Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

afonsonunes

afonsonunes

02 Jul, 2009

Vai dar caganeira

 

Podem chamar-lhe diarreia, se não souberem o que é caganeira. No caso presente, que é uma anormalidade social que vasa demais, relativamente ao que come, prefiro o termo antigo, por mais original e até possuído de uma certa graça, já que vem de um verbo que já muita gente esqueceu que é o que mais faz na vida.
Mas, deixo essas merdices que o país parece assumir cada vez mais, por iniciativa dos amigos das mentiras, tal como fazem os amigos das verdades. E até dos amigos que se especializaram em transformar mentiras em verdades, e verdades em mentiras, suponho eu, porque precisam de uns aparelhos auditivos, agora muito acessíveis no mercado da especialidade. Sim, porque eles não ouvem bem o que os outros dizem.
Ora, por força desta inusitada obratória verbal, estamos a caminhar, inevitavelmente, para um período em que os comes e bebes, além de escassos, vão passar a ser muito mais inapropriados a estômagos frágeis e inadaptados. Dou como exemplo, o excesso de língua e a falta de linguado, ou a falta de batata e o excesso de batatada.
E isso são apenas dois simples exemplos, de entre o muito que nos espera em termos de influências maléficas para desregular o percurso intestinal, desde a boca até lá abaixo, onde tudo desagua em silenciosa ou ruidosa caganeira.
Sinceramente, nem sei porque me deu para desopilar desta forma tão indigna e mal cheirosa que, não tenho dúvidas, faz virar a página a quem aqui chegou. Peço muitas desculpas, mas estou certo que uma ou outra pessoa mais benévola, que as há, fará o sacrifício de aturar esta minha madureza.
Esta encorajadora esperança radica no facto de uma grande parte dos portugueses já estar mais que habituada aos muitos apanhados por esse já vulgar desatino, que o praticam a tempo inteiro e, quantas vezes, com remunerações extraordinárias. Ainda que não saiam do reservado onde se aliviam.
Não me surpreende nada que assim seja, pois o que não falta são reservados individuais e colectivos, sempre abertos, sempre preparados para que as caganeiras não provoquem situações incómodas para quem as tem e para quem tem de lhes suportar as indesejáveis consequências. 
Porém, isto só será assim, enquanto os reservados estiverem abertos a amigos da verdade e da mentira. No dia em que os amigos da verdade expulsarem os amigos da mentira, após assumirem o controlo e utilização dos reservados, então a caganeira vai transformar-se numa chatice mais enervante que qualquer tipo de gripe.
Tudo indica que os amigos da verdade vão querer ocupar todos os reservados de forma individual e exclusiva, cada um com a sua chavinha no bolso, para não ter de aguardar a saída do anterior. Vai ser o fim da macacada.
E o pior é que os amigos da verdade, vão ficar todos à rasquinha, quando concluírem que, afinal, todos tinham verdades diferentes. Então, a caganeira será mesmo uma pandemia arrasadora, com os reservados fechados, ou ocupados sempre pelos mesmos.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.