Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

 

Volta não volta lá vem o Mistério Público às conversas de rua ou de café, já para não falar noutros lugares muito mais animados que, por força de toda essa animação, se transforma frequentemente numa fonte de indignação e de dores de cabeça, que até dão para partir a moca a alguns.
O Mistério Público tem demonstrado que, fazendo jus ao nome que honrosamente ostenta, é uma autêntica caixinha de surpresas, quando se mete com determinadas pessoas, cuja vida não tem mistério nenhum, a não ser uns pequenos indícios que intrigam os homens e mulheres do dito Mistério.
Agora, uma dessas pessoas bem determinada, diz que o seu partido, ou ex-partido, é capaz de tornar permeável o Mistério Público às suas impressões, o que é extraordinariamente interessante. Pressões, já eu estou farto de saber o que é. Mas essas também não vão para o Mistério, porque são do domínio público.
A coisa é tanto mais interessante, porque o tal partido, o dele, é que não pode ouvir falar de impressões. A sua desconfiança tem sido constante, sobretudo, nos casos mais badalados, os quais, vão apresentando indícios de que há alguns mistérios no seu aparecimento, em ainda misteriosos diálogos com o Mistério Público, fonte cristalina das tais impressões.
Até parece que essas impressões têm como objectivo compensar os muitos casos que o Mistério Público está a tentar fazer com que deixem de ser mistérios e passem a ser factos devidamente comprovados, ao contrário de alguns do passado que já foram des rotulados de misteriosos.
Instala-se assim, cada vez mais, a dúvida sobre os mistérios que rodeiam o Mistério Público e os tais partidários que conseguem torná-lo permeável, através das suas impressões, cuidado, não são pressões, com a finalidade de assassinar uns, politicamente, é claro, e ressuscitar outros, embora ainda não estivessem bem mortos.
Afinal, já havia rumores sobre assassinatos políticos combinados entre o tal partido e o Mistério Público mas, contra adversários provavelmente comuns. A novidade está agora no facto de, eventualmente, repetir o crime dentro da própria casa, o que lhe dá a categoria de crime familiar. Não, não me parece que seja considerado fratricida.
Por outro lado, ficamos a desconfiar que o Mistério Público, não persegue apenas os crânios de um só partido. Agora, segundo garante a pés juntos o denunciante em apuros, o Mistério Público já é selectivo dentro dos próprios aliados, onde já consegue eleger alguns inesperados alvos da sua permeabilidade.
Por outro lado, o Mistério Público vai ficando cada vez mais refém das suas permeabilidades, pois, não só não consegue desvendar os mistérios de vidas quase impolutas e quase exemplares, como ainda deixa aumentar quase assustadoramente, os pedidos de desculpa que já tem na sua agenda de expediente, quase cheia.   
Parece que já está quase na altura própria para o Mistério Público se transformar em Mistério Privado, a bem da impermeabilidade da consciência nacional.