Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

19 Ago, 2009

Troca comigo

 

Este mês de Agosto está o máximo. Mal de mim se não desse o meu contributo para que este clima que nos faz inchar de risota e nos faz verter lágrimas de felicidade, não fosse mesmo o prazer supremo de quem gosta de gozar um mês de Agosto à portuguesa, com muitas gargalhadas sonoras de outros, que vieram de fora até cá, encher o papinho.
Portanto, no mês de Agosto, é tudo ao gosto de cada um, para que não haja monotonia à volta das mesas das sardinhadas e do franguinho de churrasco, nas festas populares e nos arraiais, onde o tinto e a cerveja fazem soltar a língua e elevar as vozes, mesmo daqueles que não são populares. Vozes que se purificam e se elevam até ao mais alto nível do debate.
 Ao nível do melhor e maior debate, que é aquele que vai lançar-se nos meandros de um mês de Setembro cujo nível se adivinha ainda mais elevado que aquele que já sentimos agora, neste Agosto que já anda louco. Meses animados, talvez pelo simples motivo de que são meses de Verão, onde tudo é quente, ocasional e fortuito. Para alguns, chega mesmo a ser escaldante.
É por isso que se troca muita coisa no Verão. Trocam-se mimos, afectos e muito palavreado. Troca-se o que se tem, por aquilo que se deseja vir a ter, sem pensar naquilo que pode não vir sequer. Quando são muitos a querer a mesma coisa, alguém vai ficar a chupar no dedo, metido na boca babada, de tanta baboseira ter feito e dito.
Lá para o final do Verão, é certo, mais que certo, segundo a minha perspectiva estival, que vai haver um rol de trocas de ocasião, que muito vão dar que falar. Muito mais do que já se fala agora, pois isto não passa de simples animação de rua, onde ainda não há arruaceiros. Mas, eles vão aparecer.
Se cada português, masculino ou feminino, fizer questão de protagonizar uma troca este Verão, e eu acredito que isso vai acontecer, lá para o final de Setembro teremos um país completamente trocado.
Espero e desejo que não se confunda o que se vai trocar. Não vão nessa de trocar notas por moedas, ou trocar miúdos por grossos, senão o país vai ficar mais atafulhado do que já está. É que o espaço para meter a tralha não aumenta, por causa da Espanha e do mar. Depois, com boas ou más trocas, nós, não podemos ficar pendurados por aí.
Contudo, a troca sensacional que eu prevejo, e que é o meu contributo para o Verão feliz que estamos a viver, será a troca da sede do governo, de S. Bento para Belém. Eu sei que o programa já está elaborado. Por enquanto, não posso dizer quem o elaborou. Mas, posso garantir que já houve consenso entre ele e ela.
Tal troca tem evidentes vantagens para ambas as partes. Em primeiro lugar, deixa de haver aquela constante espionagem para descobrir quem é que diz ou faz qualquer coisa. Em segundo lugar, ela conduz mal, e o trânsito em Lisboa está um caos. Em terceiro lugar, poupa-se muito dinheiro nos assessores, embora eles já estejam a acumular a título particular. Em quarto lugar, ele sonha com uma acumulação. Em quinto lugar… e por aí adiante.
É bem de ver que ninguém vai desmentir esta troca. Era só o que faltava. A mim, até me dava um certo jeito, pois era capaz de me valer algum prémio, por exemplo, o prémio de melhor troca do ano. Fico à espera. Quem sabe…