Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

28 Ago, 2009

Ele há cada um

 

‘O mundo não será o mesmo depois da crise.’ Quem anda minimamente a par das notícias sabe quem disse isto, mais ou menos o mesmo que outras ilustres personalidades mundiais já têm dito. E até eu, que não sou ilustre, nem nada que se pareça, era capaz de dizer o mesmo. Mas, aquele, é português e é líder europeu.
Ora aí é que está o problema. Ao dizer semelhante barbaridade, vê-se logo que não vive cá, nem vem cá tantas vezes quantas as necessárias, para saber o que vai por cá. Então ele não sabe o que dizem os políticos de cá? Então ele não sabe quem é o culpado de toda esta crise? Basta ouvir os ilustres que vemos, lemos e ouvimos a toda a hora.
Se não sabe devia saber, pois ela tem um só nome, que é responsável pelo desemprego, pela crise económica, etc. e tal, tanto mais que quem o diz mais alto e bom som, é a sua fiel servidora de outros tempos, e que é uma refinada especialista na matéria. Portanto, não venha com essa de que andava um pouco distraído, o que até é natural no meio daquela confusão bruxeliana.
Mas, não é só ela a garantir que o culpado de tudo isto está bem identificado. Nesse aspecto, há um consenso dos seus parceiros de tese, o que leva a que tenhamos de dar-lhes um capital de credibilidade indiscutível. E também deve levar a que esse responsável por tamanha calamidade mundial, seja levado aos tribunais competentes, para prestar contas por todo o mal que fez, cá dentro e lá fora.
Suponho que não será difícil conseguir que se faça justiça, com tantas e tão prestigiadas testemunhas de acusação, a que se juntarão, certamente, muitos e bons advogados, que ajudarão nessa tarefa, que nem parece uma causa muito difícil. A menos que o senhor bastonário entre na contenda.
Além disso, ele, o tal, deve ser também responsabilizado pelos danos causados a todos os infelizes que já se viram envolvidos nestes escândalos nacionais e internacionais, a começar por um tal banqueiro americano, pois está visto que foram vítimas inocentes de um tresloucado português, que já fez com que se mobilizasse o mundo inteiro, para a solução dos problemas que ele criou. Ele, é o tal de cá,
Portanto, não se admite que um português, mesmo vivendo lá fora, venha dizer que o mundo nunca mais voltará a ser o que era antes desta crise. Que ele não sabe, nem imagina, que foi aqui nascida e criada. Aliás, a resposta já está dada pelos entendidos e entendidas, que não têm dúvidas de que só é preciso fazer uma coisa. Apenas uma simples coisinha, para acabar com a crise e com todos os problemas que cá temos. Tirem-no dali e tudo voltará a ser como dantes.
Voltaremos a ser um país sem assaltos a bancos e a residências, com um polícia à porta de cada eleitor; um país sem aqueles bairros problemáticos que só apareceram com ele; um país sem esta calamidade do desemprego, que ele podia e devia ter evitado, dando emprego a todos os boys amigos e inimigos; um país onde todos os empresários sejam sérios e invistam no desenvolvimento deste país, como já havia sido feito antes dele e da crise dele; e ainda um país sem as dívidas que ele podia e devia ter pago do seu bolso que, como é sabido, é inesgotável.
Como se engana quem pensa que o mundo não voltará a ser o mesmo. Vai voltar a ser, sim senhor, pois quem o diz é quem sabe. Por mim, podem crer que eu também sei perfeitamente. Principalmente, o nosso mundo, este cantinho à beira mar plantado, que voltará a ser o paraíso por tantos sonhado, o paraíso da felicidade, da riqueza e do progresso que já tivemos, embora não me lembre bem quando.
A gente ouve coisas que, enfim. Ele há cada um...