Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

30 Dez, 2017

Adeus 17


Estou inteiramente de acordo com Carlos Cruz quando diz que olhar para as televisões é o mesmo que olhar para um micro ondas, só que este último tem muito mais utilidade.

Efetivamente um micro ondas serve para nos dar comodidade e bem estar na nossa vida doméstica. As televisões servem para nos dar uma visão completamente distorcida da realidade. E um arrelia constante quando confiamos nas loas que nos serve com toda a desfaçatez tentando fazer-nos acreditar que são coisas sérias, tão sérias como quem as inventa.

Não faço ideia nem quero fazer juizos sobre matérias que não domino perfeitamente. Carlos Cruz é uma personagem bastante causticada, bem ou mal, por uma comunicação social suja e abjeta.

Recordo que essa comunicação social, escrita ou falada, teve ao longo dos tempos, um juiz herói chamado Rui Teixeira, que acabou no completo desconhecimento. E a sua vítima, Paulo Pedroso, que acabou por ver interrompida uma carreira política promissora.

Carlos Cruz é desse tempo. Não sei, ainda hoje, até que ponto foi mais um embrulhado na ira justiceira populista, se foi um presidiário que simplesmente pagou os seus erros. Mas, o juiz que o condenou foi o mesmo que condenou Paulo Pedroso e deixou que uma longa lista de pseudo criminosos circulasse por tudo o que eram notícias. Casos de Mário Soares, Ferro Rodrigues e outros, mas nenhum de direita embora alguns com evidências mais visíveis.

Depois de Rui Teixeira, veio o juiz Carlos Alexandre e com ele, o caso Sócrates. Também aqui, como não conheço o enormíssimo processo e o seu possível desfecho, direi apenas que é uma vergonha nacional como uma justiça desumana, mesmo cruel, trata os seus cidadãos e lhes arruina a vida, muito antes de serem acusados nessa espécie de justiça. Mais que acusados, já condenados e a prisão, uma efetiva e real, outra perpétua, por essa comunicação social, muito pior que o micro ondas.

Em quase todos estes processos ou semelhantes, aparecem sempre denúncias anónimas. Algumas delas identificadas mais tarde, mas os seus autores ficaram sempre na sombra. E curiosamente, segundo versões de fácil interpretação, vêm sempre da direita para a esquerda. Porque será que a esquerda não faz o mesmo?

Vamos agora ao tema futebol. Denúncias anónimas não faltam da parte de uma aliança, assim a modos que a parecer demoníaca, entre dragões e leões contra águias. Para provocar averiguações que, aparentemente, não convém que sejam esclarecidas em devido tempo. Também aqui apetece perguntar porque razão os visados do lado da Luz não apresentam queixas anónimas, pois são essas que têm maior prioridade. As apresentadas pelas vias normais e devidamente assinadas e identificadas, essas ficam para trás.

No meu entender, o futebol só ficará tranquilo, se é que ficará, quando o Benfica for para os campeonatos regionais, isto se não puder ser extinto. Aquilo que não tem mais explicação para esta sede de vingança e revelação de inveja, vai acabar por triunfar, pois neste país, que é Portugal, só triunfa quase sempre, quem trata dos seus negócios no submundo da sujeira e da ilegalidade.

Bom, estes os meus reparos ao que se tem passado no ano que agora vai terminar, mas que já vem de muito mais atrás. Aliás, deixo aqui uma espécie de aviso ao PM para que esteja alerta. Não faltarão tentativas de o envolver em qualquer coisa que mereça o seu afastamento do governo. Por enquanto têm sido apenas insultos de natureza mesquinha. Mas não tardará aí alguma denúncia anónima que levará a investigações sem fim.

E até para o ano que aí vem, se Deus quiser, como diz o povo, na sua santa sabedoria.