Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

03 Fev, 2016

Ai bate o pé

 

Costa, bate o pé, enquanto houver quem não se canse de bater em ti, por motivos óbvios mas, principalmente, e como desculpa, na falta de música apropriada, atirando com Catarina e Jerónimo para o terreiro da dança.

Pois, Costa bate o pé, já que não pode, nem quer bater em ninguém do jeito que muitos lhe têm batido. Isto porque Costa não é o cepo que têm querido fazer dele desde que saiu da Câmara de Lisboa para o Rato.

É de crer que muitos desses batedores de língua, de teclas ou de esferográficas, tenham já engolido muito do que disseram ou escreveram. Isto, se já tiveram a coragem de voltar atrás e revisitarem os seus ditos.

Eu sei que esses batedores apreciam muito mais Cavaco, Passos e Portas. Eles lá sabem porquê. Sabem mas desses não falam. Mas deviam falar sem vergonha, pois o que é bom e bonito não deve ser escondido nem evitado.

Até porque Cavaco já parece outro. Mais descontraído, mais sorridente, mais feliz, talvez por estar agora mais descansado. Ele adora o país que nos vai deixar. Mas não é só ele. Ele contagia, tal como já foi contagiado.

Passos está agora a reinventar a social-democracia. Diz ele, a de sempre. Sim, bem sabemos como é a dele. Única e mascarada, ou não fosse tempo de brincar ao Carnaval. Daí que se preveja aproximação a Costa e Marcelo.

Já o inefável Portas resolveu aproximar-se de Juncker. Foi ter com ele e contou-lhe o seu historial de governante amigo do povo. Defendendo o sucesso do atual governo para que não se perdesse o esforço do povo.

Costa devia agradecer-lhe o enorme favor. Sem ele, Costa já estava fora, sem apelo nem agravo. Portas é isso. Magnânimo, amigo, leal, sincero. Ou não fosse um caridoso convicto. As misericórdias que o digam. Sem ele…

Pois, Costa… Bate o pé!... Vamos lá ver se não andam por aí imitadores do Santos Silva. Pois, desse que gostava de malhar na direita. Agora, é preciso que continuem a bater despudoradamente, sempre a malhar na esquerda.

Contudo, Costa bate o pé, mas não malha em ninguém. Mas é que nem dá por todos os muitos batedores, quer estejam nos partidos do costume, quer estejam na costumeira comunicação social. E eruditos que eles são…