Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

29 Dez, 2014

AMIGOS?!...

 

Ainda bem que eu não tenho amigos. Se os tivesse, eu e eles, já estaríamos atrás das grades. Isto porque os procuradores e os juízes não têm amigos, nem os podem ter. Mas podem ter inimigos e isso é natural.

Natural, portanto, que alguns procuradores e juízes mais sós, em lugar de procurarem amigos, procurem apenas uns likes nas redes sociais. Quanto a inimigos, não é preciso procurá-los. Basta ir a Évora e eles aí estão.

Não sei porque de Évora me estou lembrando. Talvez porque receie que, com o tempo, tudo vá mudando. Mas não sei quando. Por mais que não se queira pensar em rancores, nunca deixará de haver quem vá odiando.

Continuando, em chegando ao Rio Tejo, as ondas me vão levando. Não para Évora, pois não sou ave de bando. Mas gosto que as ondas me vão embalando. Até que o bem, a vista vá alcançando. Depois, vou parando.

Mas, continuarei divagando. Sempre pensei que ter amigos era bom, até que comecei a desconfiar que eles não queriam nada de mim. Pelo contrário, eles não me largavam. Mas, para me dar tudo o que eu queria.

Depressa verifiquei que alguns, que não os amigos, andavam ocultos atrás de mim. Logicamente, pensei cá com os meus botões. Se não são meus amigos, só podem ser meus inimigos. Dos tais que não têm amigos.

De imediato parei com todas as amizades. E isso até foi fácil, pois foi um alívio ver-me livre de tudo o que elas me faziam chegar a casa. Agora, o que está a ser difícil, é livrar-me dos meus inimigos. Por causa dos amigos.

E eu que ainda há pouco pensava que eles não tinham amigos. Estou de morrer com esta surpresa. Afinal, os meus inimigos também têm amigos. Começo a perceber que eu perdi os meus e eles aumentaram os deles.

Num belo dia ouvi dizer que, as meninas jeitosas, é que têm amigos. Sim, é verdade, mas essas fazem-se pagar bem. Pois é, eu também tinha amigos e não pagava nada. Suponho que os meus inimigos também não.