Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

26 Mai, 2014

ARREPENDIDOS

 

 

O país teve ontem, 25/5/14, a consagração de um novo herói que se vai juntar a umas tantas figuras pardas que se arrastam pela política portuguesa. E vai para Bruxelas onde não convém que seja Marinho.

Ontem pareceu ter a dimensão de um Marão e a voz de um Galo, no meio de tantos pintainhos. Marinho e Pinto, terá de ser o enorme Marão e Galo, naquele mega aviário que é o Parlamento Europeu.

Físico não lhe falta. E muito menos aquela voz que vai contrastar com o fino piar de pintainhos que mal acabaram de sair da casca do ovo. Ou dos roucos que sempre falaram demais e já perderam o pio.     

Julgava eu que muita gente tivesse também engolido em seco com os processos usados para caçar votos. Desde o velho sistema da calúnia, aos apelos patéticos ao voto, na base da estupidez de argumentos.

Continuo a ver que, apesar do desastre dos resultados, os sinistrados continuam, ainda hoje, a pensar que, quem os lê, tem a mesma dimensão intelectual que eles, ao confundir derrotas com vitórias.

São precisamente esses a quem Marinho Pinto muito deve. Não por lhe terem dado qualquer apoio, mas por terem semeado tantos ventos que provocaram a tempestade. E não estão arrependidos.

Mas Marinho Pinto prestou um grande serviço ao país. Falou de si e dos problemas que pretende eliminar. Não falou dos outros. Não falou de fantasmas ou dos medos que não tem. Falou só verdade.

É uma pena que não possa trocar o Parlamento Europeu, pelo nacional. Aqui, seria um bom exemplo para erguer a voz contra a hipocrisia de uma direita que não respeita nada nem ninguém.

No Parlamento Europeu vai ser muito difícil fazer-se ouvir. Aqui, teria boas oportunidades de desmascarar os que passam os dias a colar nos outros, os defeitos que ostentam e praticam a todo o momento.

Estou convencido de que hoje, há muita gente arrependida de não ter votado, ou ter votado em quem o não merece. O fenómeno Marinho Pinto vai ter consequências. Mais alguém o seguirá.

Esta Europa e esta direita já deram cabo do país. A chanceler até já quer diálogo. Onde é que eu já ouvi isto! E ainda continua a fanfarronice dos que julgam que alguém ouve os seus conselhos.  

Quanto aos resultados propriamente ditos, a desculpa é, como se esperava, perderam por poucos. Mas daí até considerarem que quem deu o trambolhão foram os outros, só dá para ver a cara deles.

A grande verdade que estas eleições revelam é o tremendo abismo de que nos aproximamos. Por culpa dos que não sabem perder. Mesmo quando já mostraram que não sabem o que devem fazer.