Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

05 Jul, 2015

ATRÁS DE PORTUGAL

 

O PSD está muito ufano do slogan do seu programa de destruição de Portugal. Portugal à frente, no entanto, pode ser um autêntico sinal de verdade das suas reais intenções. Obviamente que nunca as confessaria.

No entanto, o meu espírito de coca-bichinhos não podia deixar de revelar o sentido do meu incontrolável feeling. Senão vejamos. Se Portugal está à frente do PSD, é porque há uma corrida, logo, uma perseguição.

Se o PSD está a perseguir Portugal corre, logicamente, atrás dele. Faz todo o sentido dizer que anda atrás de Portugal. Bem pode clamar que é só para ganhar a corrida, mas os factos desmentem essa teoria. Falsa teoria.

Aliás, a generalidade dos políticos ainda não conseguiram convencer o país de que não andam atrás dele para ver se conseguem colocar-se à sua frente. E de cada vez que o conseguem, depressa se vê o resultado.

Com eles à frente, o país fica para trás. Eles medram, enquanto o país definha. Logicamente que deviam proclamar que pretendem ver Portugal atrás. Isso mesmo, Portugal atrás, era isso que eles deviam propagandear.

Hoje, andam numa correria atrás da Grécia perdida e à beira do abismo. Para a empurrar despudoradamente, em lugar de lhe estender a mão amiga da solidariedade. O medo de a salvar, será a sua queda no abismo.

O PSD tem estado à frente dessa corrida contra a Grécia. Mesmo arranjando argumentos que não disfarçam o seu eleitoralismo à Samaras. Não faltará muito para saber quem ganha e quem perde com esta corrida.

Mesmo com o abismo debaixo do nariz, até o descalabro que criaram, lhes serve de incentivo para o continuarem até às últimas consequências. Portugal e a Grécia, tal como a boa Europa, não precisam desta má gente.

Nem seria preciso ver mais que certas imagens que nos vêm da Grécia. Gente humilde, idosos e jovens, desesperados, gritando pelo ‘não’, enquanto outras caras, pintadas, festivamente, exibem cartazes pelo ‘sim’.