Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

17 Dez, 2014

BATALHA NAVAL

 

Acabou o jogo. Finalmente o submarino foi ao fundo. A partir de agora o jogo nunca mais será o mesmo. Passos diz que não precisa do CDS para ganhar eleições. Pois bem, Portas bem pode dizer que não precisa do PSD.

Não diz que é para ganhar eleições, porque ele queria apenas ganhar a batalha naval em que se empenhara há muitos anos. Como não tinha outro parceiro disponível, aprontou a armada invencível e foi jogar.

Ano após ano, foi destroçando a armada de Passos. O único submarino que restava, foi hoje ao fundo. Os burocratas dizem que foi arquivado. Como se o fundo do mar fosse um arquivo. Esse, é o reino dos tubarões

Após esta retumbante vitória, o vice Portas pode até entregar o CDS à sua vice, cometendo a proeza de entregar o partido a uma mulher do campo e do mar. Ela bem o merece após a retumbante vitória nas cotas de pesca.

Aliás, o CDS é um partido vocacionado para ganhar tudo. Como Portas já ganhou mesmo tudo o que tinha para ganhar, vai dedicar-se à sua veia literária. Cristas, encontrará a melhor forma de se coligar. Ou de se aliar.

Estou em crer que ela não sabe jogar à batalha naval. Daí que não se arrisque à humilhação de perder com o mestre Passos, derrotado pelo exímio Portas. Cristas, tem outros jogos em que pode bem sair vencedora.

Para ela, é tão fácil pegar um touro, como pegar um Coelho pelas orelhas, ou sacudir um tubarão pela ponta da cauda. E neste tempo de forças indomáveis, Cristas tem tudo para ter um vice e não ser vice de ninguém.

Mas, ela que tenha atenção, pois Passos e Portas ainda mexem. Tudo indica que não, mas qualquer deles pode não resistir ao vício do jogo da batalha naval. E aí, se for preciso, não lhes faltarão bombas atómicas.