Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

afonsonunes

afonsonunes

É de loucos. Já não sei onde me meter para não ter que ouvir tanta vozearia a propósito de tantas coisas sérias que são tratadas com uma tão evidente falta de senso por tantos 'entendidos' em assuntos complexos, após a tomada de decisões de outros que tiveram de ser tomadas segundo as circunstâncias e urgência dessas medidas.
Em termos de saúde são sobretudo as ordens e os sindicatos que mais se arreganham com os acontecimentos que diariamente são fornecidos pelas entidades que coordenam os serviços, só contribuindo para a confusão e os receios que a situação cria na população menos esclarecida e na mais exacerbadamente contestatária.
É sabido que ninguém estava preparado para enfrentar esta pandemia. Nem os que diariamente criticam tudo e todos os que corajosamente tudo fazem e têm feito para minimizar os danos tantas vezes irreparáveis. Mas a cada caso mais gravoso lá vêm os 'salvadores' a questionar o que se fez, ou não se fez, sem nada terem feito ou sugerido antes.
Também a propósito da saúde, o regresso às aulas originou uma verdadeira azáfama de adaptar os estabelecimentos à pandemia e respetivas regras para evitar contágios. Como de costume, o sindicato dirigido por um professor que não sabe o que é dar aulas, nada mais fez que atacar o ministério, em contradição com a ação e opiniões dos responsáveis das escolas.
Agora, de repente, todos os salvadores da pátria, se insurgiram pelo que acontece no futebol, na política, na justiça, como se a promiscuidade velha, reinante e enorme, fosse acontecimento de hoje. E lá vêm os principais intérpretes desse filme fedorento, criando responsáveis novos, de agora, pelos males que vêm muito de trás.
Os piores corruptos são agora as virgens puras que reclamam medidas imediatas ao governo para que tudo passe a ser transparente, puro, cristalino. Como se isso fosse uma questão de carregar no botão e já está. Não, não está, nem vai estar, enquanto muitos e muita coisa à vista, não forem varridos das atividades em causa.
E o que está em causa, não é o governo, até porque não tem condições para isso. Mas muitos acham que sim. Além do governo há a justiça. Onde há PGR. Onde há conselhos superiores. Onde há diretores de vários departamentos. Onde há o Ministério Público. Onde há um Supremo Tribunal de Justiça. Onde há um Tribunal Constitucional. Onde há tribunais de vários níveis. Onde há super juízes e juízes. E agora, um super espião que, vindo do crime, vai iluminar a justiça.
Depois, também há advogados, muitos advogados, uns melhores que outros, o que é normal. Há sociedades de advogados, algumas muito poderosas e muito influentes no decorrer dos processos e sua finalização. Com a vantagem de saberem manobrar muito bem as fissuras na lei que permitem fazer escolhas de toda a ordem.
Desde há muito que há gente graúda e bons advogados nos clubes de futebol, com intervenções diretas no bom e no mau que o futebol de há muito alimenta e se alimenta. Toda a gente sabe e sabia. Mas agora 'descobriu' que afinal estava tudo bem e de repente alguém estragou tudo. Até a Ordem dos Advogados acordou agora para o problema.
Seria bom que agora, mas já, se fizesse um levantamento de todos os juízes, de todos os advogados, de todos os detentores de cargos públicos de relevo, se movimentam e influenciam todos os atos e decisões importantes para a vida dos clubes e que colidam e tivessem colidido com a seriedade e a pureza dos ideais desportivos ou dos negócios que por eles passam.
Não é só no futebol que há corruptos. Não é só na política que há corruptos. E onde estão os mais poderosos de todos os corruptos? Estão por aí em todo o lado, dispersos, misturados, combinados, onde têm tido e continuarão a ter o poder de, em última instância, decidir quem são os corruptos que podem e devem ser investigados e julgados.
Acima de toda esta gente importante, alguns corruptos incluídos, está a figura do Presidente da República. Que jurou cumprir e fazer cumprir a Constituição da República. Que é o garante do bom funcionamento de todas as instituições. E há instituições que não funcionam lá muito bem. Por causa dos corruptos.
Quantas vezes, em lugar de denunciadas as evidências de corrupção, ainda são elogiadas pelo seu desempenho, talvez porque há monstros sagrados disseminados por algumas instituições que metem medo a muita gente. Monstros criados ao longo de muitos anos que, pela sua longa continuidade em lugares chave, ao contrário da curta duração de outros mandatos superiores, fazem temer a perda do lugar ou até uma estadia forçada em Évora.
Porque as denúncias, a qualidade dos denunciantes e a propensão para os julgamentos na praça pública e na 'prova' fundamentada pelas convicções e pelas suspeitas de quem investiga e julga, têm levantado crescentemente na opinião pública muitas dúvidas de que efetivamente se faz justiça no combate ao crime da corrupção com o dedo sempre apontado na mesma direção. Ou dirigida aos mesmos alvos.
Será desta que quem pode vai acordar para o verdadeiro problema da corrupção?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.