Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

17 Abr, 2017

Borregos


Já passou a Páscoa e com ela foram-se os borregos, que tantas pituitárias inflamaram, depois de confecionados de mil e uma maneiras por esse país fora. Tantos borregos e cordeiros de leite, para não dizer tantos carneiros que também não escaparam à degola.

Há quem se queixe agora, depois de se ter deliciado com os fartos e brutos manjares festivos, que afinal se vende borrego por cabrito, sendo o mesmo dizer que há cabras que são sacrificadas, enquanto os 'cabrões' se fartam de comer. É evidente que ninguém quer saber dessas coisas.

A esse propósito também ouvi muitos desabafos de gente que não gosta mesmo nada de fiscalizações, inspeções ou controles seja lá do que for. E vai daí, um coro de críticas, por exemplo, de que a ASAE só apreende géneros para levar para casa. Estou mesmo a ver quem detesta a ASAE, polícias e fiscais.

Isto a propósito, de uma notícia que dá conta de uma apreensão de elevada carne de borrego e cabrito por não ter passado pela inspeção sanitária. Julgo não ser segredo que há quem tenha autênticos matadouros clandestinos e venda essas carnes com toda a naturalidade.

É óbvio que quem não gosta de multas e apreensões são precisamente os que põem em risco a saude de muita gente. Fazem parte daquela classe de vígaros, ou trafulhas, que infestam o país. Em todas as atividades, há os que metem muito dinheiro ao bolso sem que cumpram os seus deveres para com o estado e para com os cidadãos.

Em lugar de se defenderem com o cumprimento das obrigações de todos, atacam todos os que têm por missão fazer cumprir a lei. São esses os homens e mulheres sérios e honestos que dizem fartar-se de trabalhar para ganhar o seu e não para sustentar o estado. Na realidade fartam-se de roubar tudo e todos, não passando de vulgares criminosos que têm de ser muito bem fiscalizados.