Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

 

 

O companheiro Durão meteu-se com o camarada Putin, que lhe respondeu com a afirmação de que conquistava Kiev em duas semanas. Não tenho conhecimento da contra ofensiva durona.

No entanto, tendo em conta a dureza do companheiro Durão, no mínimo, não lhe terá faltado vontade de ameaçar o camarada Putin com a conquista de Moscovo, em menos de dois dias. Era obra.

Parece haver um prazo que está a incendiar as diplomacias. O companheiro Durão tem dois dias para sossegar o camarada Putin. Se não pedir ajuda aos companheiros nacionais, vai ser muito difícil.

Companheiros e camaradas destes, são o sal e a pimenta desta política de valentia, assente numa verborreia violenta que é capaz de descambar um dia, para guerras que tiveram as mesmas origens.

São o exemplo claro da hipocrisia que usam os poderosos para mostrar ao mundo que são eles que ditam e, como tal, tudo o que dizem é para cumprir. E o mal é quando o galo se mete com a raposa.

Por muito poderoso que se julgue o galo no seu poleiro, a raposa arguta tem sempre meio de chegar ao galo e fazer dele um franguinho no churrasco. Daí que nem sempre é bom cantar de galo.

Tanto mais que o galo devia saber que está a meter-se com uma raposa que, além de truculenta, não tem propriamente relutância em usar argumentos, tanto ou mais hipócritas, que os seus ameaçadores.

Estas guerras de companheiros contra camaradas, ou vice-versa, destroem completamente duas vertentes sociais que deviam fazer um mundo mais solidário: o companheirismo e a camaradagem.

Mas há quem não possa ouvir estas palavras sem as carregar de veneno, de ódio e de recurso a tudo o que é vil e vingativo. Depois, quem paga não são eles. São os apanhados na curva do caminho.