Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

10 Mai, 2014

COMPROMISSOS

 

 

Já que os consensos não resultaram, é chegada a altura de voltar à vaca fria, agora com o pomposo nome de compromissos. Resta saber que género de casórios se pretende, no meio de tantos divórcios.

Não estamos em época de grandes compromissos, ou casamentos, já que, os solteiros são cada vez mais e os casados são cada vez menos. Até por causa dos divorciados. Podia ter posto tudo isto no feminino.

Estou a falar de política. Estou a imaginar um casamento em que os noivos, Passos e Seguro, resolviam dar o nó. Nada de especial. Tal como imaginar um divórcio entre Portas e Semedo ou Jerónimo.

Mesmo com Catarina pelo meio. Acredito que Portas preferia uma relação mais próxima com Maria Luís. Mas os compromissos de conveniência têm de prevalecer. Até que surja o tal de divórcio.

Estes e outros, e outras, constituem ótimos elementos para formar uma equipa de solteiros e outra de casados. Que, ao defrontarem-se, dariam um espetáculo nunca visto. Com exceção dos treinos.  

Não se contesta que eles têm treinado muito. Mas não fazem mais que jogos entre solteiros e casados. Com um árbitro a condizer. Que, por acaso, até é casado, o que lhe não permite grandes correrias.

Este campeonato do poder tem dois grandes problemas. Não tem defeso, o que provoca um desgaste muito rápido a estes atletas. Depois, tem uma época de quatro anos de jogos consecutivos.

Poderia ainda dizer-se que, disciplinarmente, é uma nódoa. Onde é que já se viu um campeonato onde não pode haver expulsões? Nunca se passa de vulgares cartões amarelos e recados ao ouvido.

Numa competição assim, com tão desgastados solteiros e casados, não admira que cresça avassaladoramente o número de divorciados. Qualquer dia, só podem jogar uns com os outros. Sem compromissos.