Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

17 Jul, 2014

CORAGEM MÃE

 

 

Dos filhos que tem qualquer mãe, nem todos têm, nem merecem, a coragem das mães que os tiveram, quantas vezes em circunstâncias bem difíceis. Haverá até alguns filhos que não mereciam ter nascido.

Não é o meu caso, mãe. Estou até a pensar em mandar erguer-te uma estátua para que toda a gente saiba quanto estou orgulhoso da tua coragem. Podias ter-me deixado filho único, mas quiseste mais.

Criaste-nos a todos da mesma maneira, embora te apercebesses de que eu, desde pequenino, demonstrei que ia ter o privilégio de te compensar de toda a tua coragem. Bem como aos meus bons manos.

São inúmeras as mães corajosas deste país, que não está para filhos, e muito menos para netos. Todas elas mereciam estátuas, ou livros, por arranjarem coragem onde a perderam os que as tramaram.

A ideia da estátua pode vir a ser irrealizável, caso não encontre local que satisfaça todos os requisitos que requer a tua dignidade, sobretudo, que espelhe corretamente o fulgor da tua coragem.

Nesse caso, e só nesse, lançarei mãos à obra e vou escrever um livro, um grande livro, saído das entranhas do meu ser, porque conheço muito bem as tuas entranhas, onde me fiz o homem que sou hoje.

Não entregaria essa tarefa a ninguém. Até porque conheço bem a tua modéstia. O mais importante da tua coragem ficaria retido dentro de ti. Há coisas que nunca contarias a ninguém estranho. Como eu o sei.

Além disso, sei que a publicação desse livro não estaria dentro das tuas magras posses, quanto mais os custos da recolha do material nele contido. Não desesperes, mãe. Estátua, ou livro, deixa comigo.