Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

26 Mar, 2017

Corram com eles...


Há alguns anos, já nem sei a propósito de quê, o ex-presidente da Câmara de Viseu, Fernando Ruas, utilizou a expressão: corram com eles à pedrada (ou à paulada?). De uma forma ou de outra, uma boa maneira laranja de resolver problemas que não interessam, ou que incomodam suas excelências.

Mas foi a lembrança dessa tirada gloriosa de um glorioso político no exercício das suas funções, que me levou a escolher este título para as linhas que se seguem. Uma sugestão singela, sem a agressividade daquele ídolo do cavaquistão, coisa que nem de longe nem de perto me caracteriza, até porque não tenho poder para nada.

E a minha sugestão resume-se a que as televisões 'corram' com todos os comentadores desportivos e todos os comentadores políticos das suas programações habituais. Tais espaços de comentários são, muitas vezes, palco de cenas degradantes, tanto a nível desportivo como a nível cívico e educacional.

Estou em crer que as televisões ficariam muito mais limpas, muito mais despoluidas e, sem dúvida, muito melhor frequentadas em termos de audiências. O que esses vendedores da banha da cobra pretendem, tanto os desportivos como os políticos, é envenenar, cada um com o seu produto, o auditório que os vê e os ouve.

Tal envenenamento só pode criar um lento colapso duma sociedade cada vez mais desviada de procedimentos tradicionais de seriedade, verdade e solidaridade, fazendo emergir ódios entre cidadãos que nada têm uns contra os outros. Ódios que originam violência, com agressões, insultos, vinganças e estigmas.

O mundo, e o país, já estão de tal maneira crispados, que precisavam de meios de moderar e acalmar esses espíritos mais atingidos pela onda mediática que os contamina. Não só as televisões, mas também os outros meios de comunicação social, uns mais ativos, outros mais contidos nas suas atividades.

Portanto, sem pedras nem paus, mas como implementação de critérios humanos de melhoria da sociedade que todos os cidadãos, mulheres e homens com sensibilidade humanista, todos em perfeita harmonia, contribuam para que quem pode, corra com eles com toda a delicadeza. Há outras maneiras mais saudáveis de mostrar divergências de opinião.