Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

17 Nov, 2014

DE COSTAS

 

De Costas está o país bem servido, por mais que certos badalos procurem disfarçar a ansiedade que lhes causa o fim, que os seus extremados desejos anteveem. Mas é que nem de frente, quanto mais de costas.

Há bichinhos que quando se veem aflitos enterram a cabeça na areia, como se não tivessem mais que cabeça para proteger. Há gente que, não tendo cabeça, manda pirolitos para o ar na esperança de o ver confuso.  

E no meio da confusão que julgam espalhar, atiram com Costas para aqui e Costas para ali. Ainda bem que é assim, senão teríamos de ‘gramar’ outras pastilhas bem mais difíceis de engolir, mesmo com muita água.

Depois, temos muitos e bons Costas, além de termos tido o grande Costa do Castelo. Mas temos agora o Costa da SIC, o Costa do Económico, o Costa do BdP, o Marco Costa do PSD e o Rui Costa do Benfica. Tantos…

Certamente que todos eles têm os seus amigos e os seus maldizentes. Qualquer deles só conta com os amigos que tem, enquanto confiar neles. Logo que eles se metam em amizades obscuras, fora com eles. Não é?

O que não joga bem é ter confiança cega nos amigos e companheiros de agora, atolados em lama, mesmo que tenham tido confiança de gente séria no passado. E o que não joga bem é não saber jogar com seriedade.

Diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és. Podes ter andado bem acompanhado com alguém, até esse alguém passar a ser uma má companhia. Mas tem cuidado. Continuar mal acompanhado é muito mau.

Se assim for, nunca queiras ser melhor que um Costa que te dê lições em toda a linha. De frente ou de costas, aprende a avaliar as pessoas pelos seus atos e nunca segundo os teus bitaites distorcidos e malévolos.

Longe de mim pretender convencer alguém de que gosto de todos os Costas da mesma maneira. Mas o que não faço, é tirar coisas a um, para colocar no outro. Gostar ou não gostar é bom dizê-lo, mas sem veneno.