Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

18 Mar, 2014

ETERNA APAIXONADA

 

 

Sempre apaixonada, mas nem sempre pelo mesmo homem. Revela até uma tendência acentuada para relações periódicas de maior ou menor duração. Há quem considere que ela tem sentimentos muito instáveis.

Acontece a muita gente que gosta de ter as suas paixonetas ao sabor dos conhecimentos que vão fazendo. Nestas coisas, os homens têm a fama mas, neste caso, é ela que tem o proveito. Eles não o têm com certeza.

O José foi a primeira vítima. Quando se apercebeu da situação em que se deixara cair, ainda se lamentou: era só o que me faltava. Mas não teve outro remédio senão aguentar enquanto pôde. Sem poder nada.

Agora é o Pedro que anda enredado nos seus braços. Recebe muitas provas de carinho e promessas de amor para a vida inteira. E ele acredita. E até agradece de todo o coração. Sente-se nas nuvens com esse clima.

Talvez ainda não tenha pensado nisso, mas corre o risco de levar com o mesmo perfume do José. Sem o José, obviamente, pois esse, para o Pedro, é uma carta fora do baralho. E, sem ele, ela está garantida.

Mas será que está? Ninguém pode garantir que ela não venha a apaixonar-se pelo António, se ele arranjar uma fatiota nova e um novo penteado. E se ela não se apaixonar pelo amigo alemão do António.