Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

21 Ago, 2016

Funciona

 

Obviamente que eu não quero falar daquele serviço da EDP com o mesmo nome do título destas linhas, apesar de só o pagamento mensal ser digno desse nome. Tudo o resto, muito raramente funciona mesmo.

Mas há que destacar que aquilo que leva tantos malabaristas a contorcer-se e a distorcer a realidade política do país, funciona como há muito tempo não funcionava. Chamem-lhe o que quiserem, mas os factos estão aí em pleno funcionamento para enervar aqueles que os querem desmentir.

O governo, menos que outros, está a cometer aquelas gafes, ou erros, que tanto clamor levantam, naqueles que mais usaram e abusaram de erros de palmatória que tanto prejudicaram o país e os portugueses. Sem clamores nem a mão providencial de quem os podia evitar.

Ora aqui é que está a diferença. O PR está muito atento a tudo o que seja contrário ao interesse nacional. E não tem dúvidas ou hesitações em manifestar a sua discordância, antecipando-se a decisões incorretas ou corrigindo-as posteriormente. É a democracia a funcionar.      

Por outro lado, os partidos que apoiam o executivo, só têm obrigação de validar as decisões do governo dentro daquilo que previamente acordaram. Em tudo o resto, criticam, não apoiam e levam o governo a alterar intenções por falta de maioria no parlamento. É a democracia a funcionar.

Obviamente que a direita vê em todas estas divergências, sinais claros de roturas permanentes e desgraças inevitáveis. Na verdade, já foram anunciadas tantas maldições e ainda nenhuma aconteceu. Pelo contrário, elas, quais tempestades incontroladas, morrem à distância, não atingindo os alvos anunciados.

Por outro lado, a cada dia que passa, vamos ficando a saber mais do que foram e são, alguns protagonistas de danos para o país e de benesses para si próprios. Como exemplos, gostei particularmente de ouvir Manuel Monteiro, ex-presidente do CDS, definir com uma clareza perfeita, a vida política de Paulo Portas.

Como gostei de ouvir dirigentes e ex-dirigentes do PSD, falar de Passos Coelho e dos conselhos que lhes têm dirigido. Como gostei de ouvir que Cristas não deve comportar-se como uma atriz de telenovelas. Não sei porquê, fez-me lembrar a antiga Floribela, mas sem a sua popularidade de então.

Há quem se queixe muito do governo e de Costa. Não tenho dúvidas de que têm muita razão. Não são os pequenos deslizes, quando comparados com outros bem maiores, que os levam ao quase desespero de palavrosas lamúrias. São, isso sim, as viragens que já aconteceram e as que estão para acontecer, em relação aos visados pela austeridade.

Mas não lhes adiantarão as constantes e caricatas deturpações de entrevistas, dos prós e dos contras, pegando em palavras soltas para noticiar tempestades que só têm existido nas suas mentes catastrofistas e doentias. Daí que, de entre eles, já há quem considere Passos Coelho, seus testas de ferro e apoiantes do CDS, como o melhor seguro de vida deste governo.